Foto: Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina

A quantidade de ocorrências envolvendo incêndio de vegetação teve um aumento exponencial em Santa Catarina neste início. Conforme levantamento do Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina, o crescimento no comparativo com o período anterior foi de 627%.

Entre 01 a 23 de janeiro de 2021 foram registradas 91 ocorrências desta natureza em todo o estado. Neste ano, já são 571 até agora. Criciúma, Lages e Florianópolis são as cidades com maior número de chamados neste começo de 2022, respectivamente.

Embora a diferença nos números de um ano pra outro seja grande, o presidente da coordenadoria de incêndios florestais do Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina (CBMSC), tenente-coronel Jefferson de Souza, explica que esse aumento considerável tem relação direta com a onda de calor e as ações humanas.

“Os incêndios florestais estão diretamente ligados a baixa umidade relativa do ar e estamos passando por esse período prolongado de calor excessivo. Isso deixa a vegetação mais seca e, com isso, qualquer faísca basta para iniciar um incêndio que terá uma alta velocidade de propagação”, detalha.

Segundo ele, raramente os incêndios florestais são iniciados por causas naturais, como raios. Na maioria a principal fonte de ignição são ações humanas. A principal delas é a queima intencional de pastos, plantações e lixos. Com o tempo seco demais, o fogo se alastra rapidamente e sem controle.

Atos como vandalismo, fogueiras e lançamentos de balões também estão entre as causas mais corriqueiras em Santa Catarina. Também houveram ocorrências onde o fogo foi causado por fagulhas de máquinas ou rompimentos de cabos de eletricidade, mas em menor número.

Vale destacar que o país tem mecanismos legais que coíbem a prática de atos e atividades que podem desencadear incêndios florestais. A Lei 9.605/98, chamada de Lei de Crimes Ambientais, prevê multas e até prisão para quem provocar incêndios na mata ou floresta e para quem fabricar, transportar e soltar balões.

Já a Lei 4.771/65, que institui o Código Florestal brasileiro, determina que para o uso do fogo controlado, o cidadão deve antes entrar em contato com o Ibama do seu estado.

 

Como prevenir incêndios florestais

  • Não inicie queimadas, principalmente próximo a áreas de vegetação;
  • Não queime lixo, terrenos ou pastagens;
  • Não jogue bitucas de cigarro na mata, nas ruas ou em beira de estradas;
  • Não deixe garrafas de vidro em áreas de vegetação. O sol faz o efeito lupa e pode iniciar um incêndio;
  • Ao fazer trilhas, evite acender fogueiras. Caso precise fazer uma, certifique-se de limpar a área e procure cercar a madeira que utilizará com pedras. Jamais abandone o fogo sem antes de apagá-lo.

 

 

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul