Cenário de tantos acontecimentos marcantes da histórico do Brasil e de Santa Catarina, o prédio que abriga o Museu Anita Garibaldi, em Laguna, passará por manutenções. A visitação foi suspensa em agosto de 2018 após vistoria do Ministério Público de Santa Catarina (MPSC).

Na inspeção, foram apontadas diversas modificações que precisariam ser feitas, em termos estruturais e de cuidado com o acervo, para que fosse reaberto.

Após muitos debates, uma solução pode ter sido encontrada agora. Conforme o projeto elaborado pela Fundação Lagunense de Cultura, o ambiente o prédio histórico passará por uma restauração total. Colocação de leds e móveis planejados adequados para a conservação dos itens históricos também integram a lista de melhorias.

Na próxima semana os trabalhos devem iniciar. Na primeira etapa serão feitos alguns serviços mais urgentes no andar superior. Desta forma, a Fundação acredita que poderá reabrir o local para visitação.

O acervo não estará no espaço, a ideia é reabrir apenas o andar superior da edificação para que os turistas e visitantes possam aprecia-lo. Uma exposição com artistas locais é prevista também.

O acervo do Museu Anita Garibaldi só voltará a ser exposto quando o lugar for adequado para receber os itens.

Paralelamente, as obras de restaura seguirão em outros espaços da antiga casa construída 1735 para abrigar a Câmara de Vereadores, no piso superior, e o corpo da Guarda Municipal e cadeia pública, no térreo.

O espaço foi transformado no Museu Anita Garibaldi em 31 de julho de 1949, no ano do centenário de heroína lagunense. Anos mais tarde, em 1964, uma estátua em homenagem a Anita foi inaugurada na praça em frente ao museu.

 

Salvamento do acervo
No ano passado foi realizado o trabalho de salvamento e catalogação das peças que compõem o eclético acervo do Museu Anita Garibaldi. Parte dele, por exemplo, é formada por objetos doados pela comunidade na década de 50. São utensílios domésticos, porcelanas e móveis que narram como era a vida social e cultural de Laguna.

Trabalho de salvamento, limpeza e catalogação do acervo do Museu Anita Garibaldi foi feito no ano passado.

Também há peças arqueológicas, escavadas nos cemitérios indígenas da região, os Sambaquis, e a mesa utilizada por David Canabarro e Giuseppe Garibaldi para assinar a República Catharinense Livre e Independente, ou República Juliana, em 24 de julho de 1839.

Pai da imprensa de Santa Catarina, o museu também possui objetos pertencentes a Jerônimo Francisco Coelho e também o acervo discográfico e a gaita de Pedro Raymundo, um dos mais conhecidos e populares músicos da região nas décadas de 50 e 60.

 

 

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul