Foto: Patrícia Amorim | HLFC

Os conselheiros do Hercílio Luz aprovaram o que tem tudo para ser um dos mais importantes capítulos na história do Leão do Sul: a transição do modelo de gestão para a Sociedade Anônima do Futebol, a SAF.

A mudança marca a entrada do clube no modelo de gestão empresarial. Aprovada no Congresso Nacional em agosto de 2021, a SAF tornou-se uma alternativa para os clubes nacionais se organizarem e se fortalecerem financeiramente.

O próximo passo da diretoria do Leão do Sul será a criação de uma comitiva para analisar contratos e documentos necessários à conclusão do processo de constituição da SAF e também a constituição de um novo estatuto.

Recentemente, o Hercílio Luz firmou parceria com investidores para gestão-empresa do clube. O modelo de negócio atual é a Sociedade Limitada (LTDA_ e tem os empresários Vinicius Gaidzinski, do Grupo VEG; Thiago Maggi Quartiero, da Camil Alimentos; e Gustavo Mendes Stocco, da Naxi, à frente do projeto

Agora, com a aprovação da SAF, é possível concretizar a sociedade e abrir oportunidade para novos investidores injetarem recursos no Colorado de Tubarão.

A maioria dos clubes brasileiros hoje são associações sem fins lucrativos. Adotando o sistema, o time passa os ativos (lucros) para a empresa, assim como os passivos (dívidas). Há uma separação do futebol em relação à parte social.

 

 

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul