Paulinho Sachetti
Tubarão

Diante de um ato repugnado pela sociedade catarinense no último domingo, quando o torcedor do Criciúma Ivo Costa, 62 anos, teve a mão arrancada depois de ser atingido por uma bomba jogada por um torcedor do Avaí, o coronel do 5º Batalhão da Polícia Militar de Tubarão, Eduardo Mendes Vieira, garante que a revista será ainda mais rigorosa no estádio Domingos Gonzales, nos jogos do Atlético Tubarão.

O caso é isolado, mas não se pode deixar de pedir mais atenção aos policiais. “Felizmente, aqui em Tubarão nunca tivemos um caso grave como o que ocorreu em Criciúma. Mas isso nos coloca na obrigação de ficar ainda mais atentos na entrada do estádio na hora da revista”, declara o coronel.

Para tentar evitar a entrada de algum objeto que possa ferir torcedores, o comando poderá pedir até mesmo a proibição de automóveis no interior no estádio. “Não podemos mais tolerar isso. Vamos nos reunir com a diretoria do clube e estudar a melhor forma para estes carros. Vamos cercar o perigo de todos os lados”, alerta.

Para o comandante, a proibição de torcedores visitantes caracterizados nos estádios pode melhor a segurança. “Tudo o que for feito para evitar a violência será bem aceito por nós e pela sociedade. Ainda bem que neste returno equipes como Avaí, Figueirense e Joinville, que costumam trazer um bom número de torcedores, não jogarão na Vila. Apenas contra o Criciúma, quando vamos reforçar o efetivo com pelo menos 100 homens”, adianta.