A Polícia Civil por meio do Núcleo de Investigação e Análise Criminal (NIAC) da Delegacia de Polícia da Comarca de Capivari de Baixo, com o apoio das demais unidades da 5ª Delegacia Regional de Tubarão deflagrou, nesta manhã de terça-feira (21), a operação ‘Vela & Prego’. A iniciativa é para o combate a fraudes em licitações e cumpre 12 mandados de busca e apreensão em residências e empresas de pessoas investigadas por fazerem parte de um conglomerado atuante no ramo de engenharia e serviços de pavimentação asfáltica, responsável por promover fraudes em licitações, em Capivari de Baixo e Gravatal.

A investigação teve início em 2019 e durou aproximadamente nove meses, tempo em que os investigadores vinham monitorando uma empresa de ‘fachada’ com sede na cidade termelétrica. Por meio de seus sócios participaram de processos licitatórios em cidades da Amurel, mediante apresentação de documentos falsos.

A principal empresa investigada contava, ainda, com o auxílio de outros empresários do mesmo ramo que, por meio de procurações e substabelecimentos tentavam dar aparência de licitude aos negócios praticados, utilizando documentos que eram forjados por uma empresa do ramo de administração de imóveis, com sede em Tubarão, bem como, de outra empresa do ramo da construção civil, sediada em Gravatal. Essas empresas atestavam falsamente a capacidade técnica da empresa investigada visando a habilitação em processos licitatórios junto às prefeituras municipais.

No curso da investigação foram reunidos elementos de provas demonstrando que o grupo investigado possuía vínculos e que a outorga de procurações e substabelecimentos visava a embaraçar eventual investigação criminal. Durante as buscas, foram apreendidos documentos, aparelhos celulares e computadores que serão analisados pelo Setor de Investigação Criminal (SIC).

A denominação ‘Vela & Prego’ decorre da origem histórica da licitação. Segundo os especialistas a palavra licitação – que provêm do latim licitatione ou licitatio – teve origem na Europa durante a idade média. Naquela época, havia um sistema chamado ‘vela e prego’, que consistia, basicamente, em apregoar-se uma obra enquanto uma vela queimava. No momento em que a chama da vela se apagava a obra licitada era entregue ao construtor que tivesse ofertado o menor preço ao Estado.

Participaram da operação policial aproximadamente 20 policiais civis das Delegacias de Capivari de Baixo, Pescaria Brava, Braço do Norte, Jaguaruna, Gravatal, Armazém e Tubarão. Colabore com a Polícia Civil. Seja um informante do bem (whistleblower). Denuncie pelos canais 197, 181, (48) 98844-0011 (WhatsApp). Será garantido o mais absoluto sigilo e anonimato.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul