Maycon Vianna
Tubarão

A equipe do Instituto Geral de Perícias (IGP) de Tubarão liberou ontem o laudo com as causas da morte do jovem Zilton Francisco Pacheco, de 19 anos, que morava no bairro Campestre com a mãe. Segundo os peritos, dois tipos de traumatismo (crânio-encefálico e cervical) causaram a morte do rapaz. Na noite de domingo, Zilton colocou o corpo para fora do ônibus para verificar uma briga entre um pai e uma filha de 12 anos, nas proximidades da ponte do bairro Andrino.
O rapaz bateu a cabeça em um poste localizado na rua Aldo Hülse. Ele estava dentro de um ônibus em movimento que iria para uma festa na localidade de Pindotiba, em Orleans. No veículo, estavam aproximadamente 25 pessoas, que também iriam para o evento.

Zilton trabalhava como segurança e os familiares lamentaram muito a sua morte. “Ele era uma pessoa muito boa, não tinha atritos com ninguém. Realmente, foi uma fatalidade, será difícil superar tudo isso”, lamenta uma prima de Zilton.
Os investigadores da Polícia Civil começaram a analisar o caso e devem ouvir alguns passageiros. O motorista do ônibus, Josê Sinfrônio, de Tubarão, diz que não percebeu que a vítima tinha colocado parte do corpo para fora.

“Quando fiz a curva, não percebi que Zilton estava com a cabeça para fora na janela. Logicamente, se tivesse visto, teria alertado o rapaz”, detalha o motorista.
Os policiais também analisarão o ônibus para avaliar se possuía os itens de segurança obrigatórios e se estava com os documentos em dia. Ao atender a ocorrência, a PM de Tubarão constatou que o prazo de validade do documento do veículo estava para expirar.

Transporte coletivo:
o correto é permanecer sentado

O acidente que vitimou o jovem Zilton Francisco Pacheco, 19 anos, de Tubarão, chama a atenção por ser algo inusitado. Ele morreu após colocar parte do corpo para fora do ônibus, para ver uma briga entre pai e filha: colidiu com um poste próximo a uma esquina da rua Aldo Hülse, no bairro Andrino.

Depois da fatalidade de domingo, órgãos de segurança pública de Tubarão alertam os passageiros de transportes coletivos para evitar este tipo de problema. “Ao andar de ônibus, o correto é permanecer sempre sentado, sem colocar braço e cabeça para fora. Subir e descer do veículo em movimento também é muito perigoso. O ideal é esperar parar no ponto”, orienta o secretário de segurança e trânsito da prefeitura de Tubarão, João Batista de Andrade.

De acordo com os inspetores de trânsito da Polícia Militar de Tubarão, muitos jovens costumam aventurar-se e correm risco de colidir com alguma placa, poste ou outros objetos. “É preciso ficar atento para não ocorrer este tipo de fatalidade no trânsito. A PM e a Guarda Municipal estão juntas para coibir as irregularidades, principalmente com motociclistas e transportes coletivos”, avisa o capitão Vilson Sperfield, da PM de Tubarão.