A Polícia Civil do Rio confirmou que o corpo de uma criança encontrado no fim da tarde de ontem (9) no Morro dos Prazeres, em Santa Tereza, na região central da cidade, é da menina Estela Evangelista, de 6 anos, que desapareceu no sábado.

O corpo foi encontrado no alto da comunidade por um morador. A UPP (Unidade de Polícia Pacificadora) foi acionada e PMs isolaram a área para realização de perícia. Há três meses, Luciana Evangelista, mãe de Estela, perdeu um filho que tinha Síndrome de Down. Ele morreu em decorrência de uma grave pneumonia.

Ontem, parentes da menina chegaram a afirmar que o corpo encontrado na favela era o de Estela, mas o reconhecimento oficial ocorreu hoje (10) pela manhã no IML (Instituto Médico Legal). As causas da morte ainda não foram definidas e Paulo ainda não foi localizado.

Estela desapareceu após sair de casa na companhia do tio, Paulo Sergio, 32, irmão da mãe da garota. Ele disse que levaria a sobrinha para a praia e os dois não retornaram. A madrinha da criança, Edileuza Evangelista, disse que a mãe está em choque e  espera por justiça.

“Quem fez essa barbaridade com ela vai pagar. Meu coração está partido. A gente não sabe onde ele está [o tio], sumiu também, se tá vivo ou morto, se foi ele que matou. A gente não sabe. Vivia bem. Morava todo mundo junto com a minha sobrinha. Jamais a mãe ia imaginar que ele ia fazer isso. Ela [a mãe] tá chocada. Não tem palavras”, disse a madrinha no IML do Rio.

Desde que a menina desapareceu, a família foi para as ruas à sua procura. Horas antes de o corpo de uma criança ser encontrado na comunidade, a mãe de Estela, Luciana, estava na Catedral da Lapa, na região central da cidade, em busca da menina. Parentes receberam informações de que a garota tinha sido vista no local.

Ao UOL a mãe da menina contou que o irmão, tio que saiu com a menina, já teve um problema relacionado ao uso de álcool, mas que já havia conseguido superar a dependência. Ela disse também que ele era um familiar muito próximo à menina.

“Ele era uma pessoa da minha confiança, é meu irmão. Eu vivia na mesma casa que ele. Eu tinha confiança nele”, disse a mãe de Estela que vivia com a filha, os irmãos Paulo Sérgio e Marcelino, e uma prima de consideração na mesma casa, no Morro dos Prazeres, em Santa Teresa.

A família explicou também que só se deram conta da gravidade do ocorrido quando conseguiram contato com a namorada de Paulo Sergio na noite de segunda-feira (7). Eles acreditavam que Paulo poderia ter ido com a menina para a casa da namorada, algo comum à rotina do irmão. 

No entanto, a mulher informou à família que não havia visto o namorado e não sabia onde ele estava. A partir de daí, o caso foi registrado como desaparecimento na Delegacia de Descoberta de Paradeiros (DDPA).