Leonardo (detalhe) tinha apenas 18 anos. Ele conduzia uma moto na BR-101, quando bateu na traseira da carreta  - Foto:Divulgação/Notisul
Leonardo (detalhe) tinha apenas 18 anos. Ele conduzia uma moto na BR-101, quando bateu na traseira da carreta - Foto:Divulgação/Notisul

Rafael Andrade
Tubarão

Mais uma morte envolvendo moto foi registrada na região nesta semana, a segunda no mesmo dia. Leonardo Citadin Antunes, de 18 anos, perdeu a vida após um acidente na noite desta terça-feira na BR-101, no bairro Revoredo, em Tubarão. A colisão ocorreu por volta das 23 horas, no quilometro 332, próximo ao Champagne Motel (somente ponto de referência).

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) do posto de Tubarão informa que a vítima a conduzia uma motocicleta Honda CG, quando atingiu a traseira de uma carreta em movimento. O outro veículo não parou por, supostamente, o condutor não ter percebido o impacto. Ambos trafegavam no sentido Sul da rodovia.

O Corpo de Bombeiros da Cidade Azul foi acionado, mas Leonardo já estava sem sinais vitais. O Instituo Médico-Legal (IML) do município recolheu o corpo, que já foi liberado à família. O rapaz era morador de Tubarão. A outra morte ocorreu em Laguna, por volta das 17 horas desta terça. Simone Martins Aguiar, moradora do bairro Cabeçuda, guiava uma Biz quando houve uma batida em um ônibus na SC-436.

Estudo aponta que mortes envolvendo motociclistas triplicou no país
O número de mortos e feridos em acidentes com motos mais que triplicou no país entre 2002 e 2013. Os dados são do estudo “Retrato da Segurança Viária no Brasil”. Das 43.075 mortes no trânsito ocorridas no Brasil em 2013, 12.040 foram motociclistas ou passageiros de motos – mais de três vezes os mortos em 2002, quando 3.773 perderam a vida. Já o número de feridos em acidentes com moto quadruplicou no período: de 21.692 para 88.682. Para feridos, considerou-se aqueles que necessitaram de mais de 24 horas de internação.

Os resultados do estudo baseiam-se apenas nos acidentes cujo meio de transporte envolvido foi identificado, descartando as categorias “outros” e “sem informação”. Portanto, os números não se baseiam no total absoluto registrado no país e apontam que os motociclistas representaram 37% das mortes e 56% dos feridos nos acidentes em 2013. Motos constituem 26% da frota nacional de veículos automotores. No período abordado pelo estudo, acidentes com motos passaram a ser a principal causa de morte do país quando o motivo é acidente de trânsito. Em 2002, os acidentes com motos representavam 17% do total de mortes, enquanto os acidentes com pedestres eram 45% do total e os com carros de passeio, 30%. Hoje, as motos estão com 37%, contra 31% dos carros e 25% dos pedestres.