#Pracegover Na foto, giroflex em uma viatura da polícia
#Pracegover Na foto, giroflex em uma viatura da polícia

A Polícia Civil prendeu mais um envolvido no caso do assassinato de Carlos Eduardo Martins Lima, o advogado criminalista, em Florianópolis, no início do mês de março. Foi a sexta prisão realizada pela polícia, em menos de 30 dias.

Em cumprimento a mais um mandado de prisão expedido pela Vara de Florianópolis, mais um suspeito no envolvimento do assassinato do homem de 31 anos foi encontrado em Lages, na região da Serra. A investigação coordenada pelo delegado Ênio Mattos, da Delegacia de Homicídios de Florianópolis, que recebeu suporte da DIC (Divisão de Investigação Criminal) de Lages, identificou e prendeu seis pessoas:

Uma pessoa de Gravataí, uma de Alvorada e outra de Porto Alegre, todos do Rio Grande do Sul; além de duas pessoas naturais de Lages e uma de Florianópolis. Conforme repassado pelo delegado Ênio a investigação ainda prossegue a fim de elucidar alguns pontos, como por exemplo, se o crime foi planejado em um outro momento, ou se foi um acerto de ocasião.

O que diz a investigação

Segundo repassado pela Polícia Civil, apurou-se que Carlos Eduardo Lima foi atraído até a casa de um fornecedor de drogas no bairro Rio Vermelho, no Norte da Ilha.

Na casa, o homem foi violentamente torturado e morto, colocado em seu carro e abandonado em via pública do mesmo bairro. Segundo o laudo entregue pela Polícia Científica (antigo IGP), Carlos Eduardo, o “Showman”, foi brutalmente agredido na cabeça e no abdômen, a partir de múltiplos ferimentos, além de “estocadas” na altura da cintura. Seu corpo ainda foi encontrado com resquícios de cocaína, sobretudo, pelo rosto e pela boca.

Os suspeitos ainda retornaram ao apartamento onde estava a ex-namorada de Cadu. No local conversaram com ela, que os recepcionou sem estranheza pela ausência de Carlos Eduardo. Os envolvidos tomaram banho para se limpar do sangue, trocaram roupas sujas pelas roupas do advogado e ainda saíram para dar um fim no automóvel.

Foi nesse instante que a BMW 320, blindada, avaliada em quase R$ 400 mil, foi abandonada em meio a uma plantação de pinus, próximo à Barra da Lagoa.

As prisões

Em menos de 30 dias, a Polícia Civil de Santa Catarina elucidou a morte do advogado e prendeu temporariamente os seis suspeitos. Com base nas investigações, a Delegacia de Homicídios de Florianópolis representou ao Poder Judiciário catarinense pela prisão temporária dos suspeitos envolvidos.

O Ministério Público e o Poder Judiciário, através da Vara do Tribunal do Júri da Comarca da Capital, entenderam cabíveis os argumentos apresentados e presentes os requisitos da prisão temporária e acataram a representação da Polícia Civil, decretando a prisão dos suspeitos identificados no curso das investigações.

Mais diligências devem ser realizadas a fim de um “melhor esclarecimento dos fatos”, além da conclusão do inquérito policial. O documento deverá ser encaminhado ao MPSC (Ministério Público de Santa Catarina) e o TJ (Tribunal de Justiça de Santa Catarina).

Relembre o caso

Um cadáver foi localizado no bairro Rio Vermelho, em Florianópolis na manhã de quarta-feira (2). Segundo BO (Boletim de Ocorrência), divulgado pela Polícia Militar de Santa Catarina, um indivíduo foi encontrado com “perfurações na área da cintura”.

Ainda de acordo com o que foi levantado, Carlos Eduardo Martins Lima foi encontrado sem os calçados na servidão Cinco Rosas, região Norte da Ilha de Santa Catarina, já no início da manhã.

O veículo que conduzia, uma BMW 320 foi encontrado mais tarde, em uma localidade próxima ao seu corpo. O carro estava com as portas abertas, sem documentos e sem chave.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotis

Fonte: NDMais