A Polícia Civil abriu inquérito para investigar as causas do deslizamento em uma área de obras de Blumenau, no Vale do Itajaí, que deixou dois mortos e um ferido. Três casas, que ficam no alto da encosta, precisaram ser interditadas pela Defesa Civil. O canteiro de obras foi isolado e técnicos estão no local avaliando se há risco de novos deslizamentos.

O operário retirado após nove horas de resgate, Ademir José Ferreira, passou por cirurgia nesta quinta-feira (28) e está na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Santo Antônio. Segundo a sobrinha do sobrevivente Juliane Ferreira, ele está sedado e o estado de saúde é considerado delicado.

Outros dois trabalhadores – Romero Geraldo da Silva, de 28 anos e Élcio José Padilha, de 30 anos – também foram soterrados e morreram no local. Os corpos foram liberados. Silva será levado para João Pessoa (PB) e Padilha para Indaial, também no Vale do Itajaí.

Trabalho de remoção

O trabalho de remoção durou cerca de nove horas porque Ferreira ficou preso a muitas pedras e rochas. Segundo o capitão do Corpo de Bombeiros de Blumenau, Filipe Dasminelli, no momento do resgate ele estava consciente, orientado, e o quadro aparentemente estável.

“O atendimento médico fez muita diferença porque não daria para gente extrair sem que a vítima fosse estabilizada. Foi por isso que demorou. A gente foi fazendo a extração aos poucos e a equipe médica fazendo a estabilização da vítima na cena da ocorrência. A princípio, as fraturas que constatamos foram de membro inferior, no momento da retirada”, disse Dasminelli.

Avaliação

Uma reunião entre a Defesa Civil, engenheiros e donos da empresa está marcada para a tarde desta quinta. Segundo o secretário municipal da Defesa Civil, Carlos Olímpio Menestrina, a proposta é discutir se será preciso fazer alguma obra de reestruturação das encostas antes que famílias que vivem na região e que foram para casas de parentes retornem para as casas que foram interditadas.

Acidente

O caso foi registrado às margens da Via Expressa, próximo ao Shopping Park Europeu, no bairro Itoupava Norte. Um grupo de operários trabalhava em uma obra particular de construção de uma barreira de contenção. Três deles não conseguiram sair dos escombros.

“Houve um deslocamento de rocha no momento em que três operários estavam trabalhando naquela área do terreno, estava sendo realizada uma cortina de concreto para poder conter aquela área e de uma forma até que surpreendeu os operários e infelizmente deslocou essa massa de terra”, disse Felipe Daminelli.

A empresa Empreendimento Hoteleiro Via Expressa Blumenau SPE Ltda, responsável pela obra, disse ainda em nota que, no momento do acidente, era feita a fundação de um muro por parte de empresas especializadas contratadas para isso. Afirmou que os trabalhos eram realizados em conformidade com os projetos e que a obra possui todas as autorizações legais, alvarás e liberações técnicas. Também disse que lamenta o ocorrido.