Maycon Vianna
Tubarão

Velocímetros disparados… 100, 120, 140 quilômetros por hora. É madrugada em Tubarão. Uma série de atos irresponsáveis. Vidas colocadas em jogo. Os rachas em trechos curtos realizados nas ruas de Tubarão estão cada vez mais freqüentes. A situação piorou após a pavimentação dos asfaltos.

A redação do Notisul analisou a imprudência de carros e motos na madrugada desta sexta-feira. Enquanto alguns dormem, outros aceleram. “Só vejo os carros passarem a todo vapor. Não respeitam sinais de trânsito e também não querem nem saber se a velocidade está acima da permitida”, destaca o vigia noturno Marcos Aurélio dos Santos, referindo-se à rua Coronel Collaço.

A primeira parada da reportagem ocorreu às 0h12min, na ponte Nereu Ramos. Um Fiat Stilo preto passou em alta velocidade e sequer respeitou o sinal amarelo de advertência. O caroneiro abriu o vidro e gritou: “Saiam da frente, a noite é nossa!”.
O outro ponto de observação foi a avenida Marcolino Martins Cabral. Com trânsito tranqüilo e movimento quase nulo próximo ao Centro Municipal de Cultura – Museu Willy Zumblick.

Duas motocicletas aproximam-se do semáforo. É 0h38min. Um motociclista encara o outro através da viseira. Um deles faz um gesto para que ambos acelerem os veículos. A arrancada faz barulho estrondoso no motor. Com aceleração máxima na ‘pista’, a possibilidade de serem cortados por outro automóvel é grande.

“Não respeitam ninguém. Nós, que trabalhamos com mototáxi, sofremos com a imprudência de alguns que só pegam as suas motos para correr de madrugada. Falta fiscalização”, lamenta o motoboy, Pedro Gonçalves.