Maycon Vianna
Gravatal

Atencioso, com boa oratória e um exímio conhecimento dos assuntos voltados à segurança pública nacional. O roteirista cinematográfico Rodrigo Pimentel, do filme Tropa de Elite, no decorrer da palestra, na tarde de ontem, no Hotel Internacional, em Gravatal, destacou o eficiente trabalho realizado pela polícia catarinense. “É uma das melhores do país. Tem pouca corrupção”, elogiou.

Durante duas horas, ele falou dos desafios de ser o capitão do Bope (Batalhão de Operações Especiais) da PM do Rio de Janeiro e disse que a cidade viverá sempre em constante guerra entre o crime organizado e a polícia. “O tráfico e os policiais vivem um conflito. É uma questão social e um desafio para os órgãos de segurança pública e educação”, ressalta Rodrigo.

Um dos mais empolgados no evento de ontem era o diretor da Guarda Municipal de Tubarão, Adailton Livramento. Para ele, a palestra foi de suma importância para alertar os novos guardas sobre a criminalidade. “Toda a experiência do Bope foi passada para os participantes. É um órgão de segurança muito respeitado no Rio. Espero que outros eventos sejam organizados”, destaca.

Entrevista: Rodrigo Pimentel

Tem muito policial corrupto no Rio
Notisul – Existe diferença entre policiais catarinenses e cariocas?
Rodrigo – Lógico que sim. Começando pelo efetivo do Rio de Janeiro, que é bem maior. O índice de criminalidade e o constante tráfico de drogas também é bem maior no Rio. Tem muito policial corrupto no Rio de Janeiro, mas a maioria é muito sério, como os integrantes do Bope.

Notisul – O tipo de crime que ocorre no Rio de Janeiro, a guerra do tráfico pode chegar a Santa Catarina?
Rodrigo – Criminalidade tem em todo lugar. O problema não é só de segurança pública, é de ordem social. A guerra do tráfico já ocorre em Santa Catarina, mas não ganha tanta evidência como no Rio.

Notisul – Quando você saiu da função de capitão do Bope, no Rio de Janeiro, pensou em trabalhar na PM de Santa Catarina?
Rodrigo – É verdade. Por pouco, não vim trabalhar em Santa Catarina. Porém, resolvi deixar a polícia e ingressar no ramo cinematográfico.

Notisul – E o Tropa de Elite 2, alguma novidade?
Rodrigo – Sim, começaremos as gravações no início do ano e traremos assuntos mais contemporâneos dos morros do Rio de Janeiro, como a presença de milícias. Wagner Moura continua no papel de capitão Nascimento.