Poucos motoristas da região aceitam realizar o teste do bafômetro. A Lei Seca abre este precedente.
Poucos motoristas da região aceitam realizar o teste do bafômetro. A Lei Seca abre este precedente.

Rafael Andrade
Tubarão

A Lei Seca, que completou dois anos e meio este mês, prevê maior rigor contra os motoristas que ingerem bebida alcoólica. Mas, é muito grande o número de condutores que descumprem a lei sem qualquer receio, e voltam a fazer a ‘dobradinha’ álcool e direção. As autoridades da região garantem que a fiscalização continua, porém, ainda há muitos infratores. E, quando um desses é parado, dificilmente faz o teste do bafômetro.
 

“Em um ano, conseguimos fazer a análise com o aparelho apenas 28 vezes. Muitos motoristas não querem produzir provas contra si, o que é permitido por lei. Em 340 casos, tivemos que fazer autos de constatação de sinais de embriaguez sem a utilização do bafômetro”, lembra o sargento Pedro Machado, que tem 20 anos de experiência na Polícia Militar Rodoviária (PMRv) de Gravatal. “Antigamente, era mais fácil de deter o condutor infrator que conduzia embriagado”, acrescenta Pedro.
 

Na BR-101, em um trecho de 70 quilômetros, fiscalizado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) de Tubarão, mais de 500 testes de bafômetro são realizados por mês, mas centenas de outros motoristas negam-se a realizar o teste. “A Lei Seca é muito mais rigorosa, mas dá muitos direitos ao motorista imprudente”, reforça o inspetor da PRF de Tubarão, Teodoto Tonon.
 

A multa para quem for flagrado dirigindo embriagado é de R$ 1 mil. O condutor ainda acumula sete pontos na carteira e tem a CNH retida por um ano, além de ter que pagar uma fiança na delegacia de aproximadamente R$ 1 mil.

Bebida + direção = morte. Você pode evitar!

A Lei Seca começou a ser aplicada há dois anos e meio, mas muitos artigos e incisos do Código Brasileiro de Trânsito de 1997 deixam brechas. Para minimizar o número de mortes em Santa Catarina, de motoristas imprudentes e de condutores atingidos por motoristas embriagados, o trânsito preventivo deverá ser incluído na grade curricular das escolas públicas estaduais.
A discussão deve ganhar os primeiros capítulos em fevereiro. Unidades municipais de ensino também poderão seguir o modelo estadual. “Se ensinamos as crianças desde cedo de que o trânsito é um dos principais responsáveis pelo mortalidade no Brasil, facilmente formaremos cidadãos educados e conscientes de que dirigir bêbado é uma das piores imprudências do ser humano”, alerta o agente Alexandre Freitas, da Delegacia de Trânsito de Tubarão.

O mapa das rodovias na região

• São 13 rodovias, a mais movimentada é a BR-101 .
• 12 são guarnecidas pela Polícia Militar Rodoviária.
• Mais de 700 acidentes foram registrados somente este ano nestas rodovias.
• 87 pessoas morreram este ano (até o dia 23/12/2010) nas 13 rodovias da região.
• O trecho considerado mais perigoso e onde ocorreram mais acidentes com mortes é na BR-101, nas proximidades de Sangão.
• Existem vários pontos estratégicos onde são realizadas blitze constantes pelas polícias Militar Rodoviária (PMR) e Rodoviária Federal (PRF).
• Além das rodovias estaduais e da BR-101, existem poucas rodovias municipais na região, a maioria sem pavimento e de trânsito lento.
• Somente a BR-101 apresenta trechos duplicados e, teoricamente, é considerada mais segura que as outras.