Rafael Andrade
Tubarão

O mutirão carcerário no Presídio Regional de Tubarão terminou ontem à tarde, com um dia de antecedência. Todos os 322 reclusos do local foram ouvidos. O depoimento era voluntário, mas ninguém quis ficar de fora. Alguns processos apontam progressão de regime e até uma oportunidade de soltura, conforme o entendimento do juiz responsável.

Um aparato tecnológico, com acesso em tempo real aos procedimentos jurídicos, através da intranet do poder judiciário de Santa Catarina, foi montado no presídio. “Foi uma ação pioneira. Tubarão é a quinta cidade do Brasil a receber este tipo de mutirão”, reforça o juiz Elleston Lissandro Canali, corregedor da unidade carcerária tubaronense.

O diretor do local, Deiveison Querino Batista, também avalia o procedimento. “Praticamente todas as unidades prisionais do estado estão lotadas ou superlotadas e o mutirão serve para minimizar este problema”, valoriza Deiveison.

O diretor do Departamento de Administração Prisional (Deap) de Santa Catarina, Adércio Velter, acompanhou os trabalhos do mutirão nesta semana e salienta: “Os presos são assistidos 100% em relação ao acompanhamento processual. Há duas semanas, ocorreu um mutirão administrativo para auxiliar a decorrência da ação desta semana. Vamos avaliar a possibilidade de executar este tipo de serviço todo o ano”, antecipa Adércio.
Cinco juizes e dez técnicos judiciários trabalharam no mutirão. Um relatório deve ser divulgado na próxima semana pelo judiciário tubaronense.

Prédio novo está 80% pronto

O diretor do Departamento de Administração Prisional (Deap) de Santa Catarina, Adércio Velter, acredita que as obras do novo prédio do Presídio Regional de Tubarão sejam mesmo concluídas este ano. Segundo os últimos dados apresentados pelos engenheiros da construção, 80% do imóvel está pronto. As 36 celas estão instaladas e adequadas para receber os 248 presos.

O setor administrativo da nova unidade está em fase de acabamento. A fundação para construção de uma ala do regime semiaberto – com capacidade para receber 120 reclusos – também está concluída. A edificação do prédio deve iniciar ainda neste mês.

“As informações que tenho é que a obra segue em bom ritmo e o prazo de conclusão – dezembro deste ano – deverá ser cumprido”, torce Adércio. Ao todo, o novo complexo prisional terá capacidade para 368 presidiários homens.