O Ministério Público de Santa Catarina (MP/SC) ofereceu à Justiça na sexta-feira da semana passada (9) denúncia pelos crimes possivelmente cometidos pelos possíveis envolvidos de associação e organização criminosa, corrupção passiva e ativa, além de fraudes em licitações contra 12 vereadores e dois ex-secretários. Eles são alvos da Operação Seival 2, deflagrada no último dia 24 pela Polícia Civil, Militar e Rodoviária Federal de Santa Catarina. Peritos criminais também trabalharam na operação.

O documento que era para seguir em sigilo judicial acabou vazando. São 53 páginas que foram enviadas para o juízo da comarca de Laguna. A denúncia foi recebida pelos representantes do fórum na última terça-feira, (13).

Foram denunciados: Adílio Hercílio Marcelino, empresário e ex-pré-candidato a vereador pelo PL, preso na primeira fase da Seival; Adilson Paulino, vereador do PSD; Alexandro Souza de Almeida, engenheiro civil; Antônio César da Silva Laureano, ex-vereador e ex-secretário de Pesca e Agricultura, preso na primeira fase da Seival em 2017; Antônio Venâncio, empresário e Cleosmar Fernandes, vereador-presidente da Câmara e candidato à reeleição pelo MDB.

Felipe de Favéri Fernandes, engenheiro civil; José Wilson Alexandre, engenheiro civil; Kleber Roberto Lopes da Rosa, vereador e candidato à reeleição pelo PSL; Marcos Alves Brasílicio, engenheiro civil; Osmar Vieira, vereador-vice-presidente da Câmara e candidato à reeleição pelo PSDB; Patrick Mattos de Oliveira, vereador e candidato à reeleição pelo MDB e Paulo Uhlmann, empresário.

Pedro João de Almeida, empresário; Peterson Crippa da Silva, vereador e candidato a prefeito pelo DEM; Rhoomening Rodrigues, vereador e candidato à reeleição pelo PSDB; Roberto Alves, vereador do PP; Rodrigo Moraes, vereador e candidato à reeleição pelo MDB; Rogério Medeiros, vereador e candidato à vice-prefeito pelo PSDB; Silvânia Cappua Barbosa, engenheira e ex-secretária de Planejamento Urbano de Laguna; Thiago Duarte, vereador e ex-candidato a vice-prefeito pelo MDB e Valdomiro Barbosa de Andrade, vereador e candidato à reeleição pelo MDB.

Os profissionais de segurança pública investigam dezenas de contratos firmados pela prefeitura de Laguna com empresários que prestam serviço no município há alguns anos. Há indícios de superfaturamento e não execução das obras e serviços licitados. Há também indicativos de fraudes na licitação do Iprev em 2016.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul