Laguna

Até ontem de manhã, cinco estabelecimentos comerciais do bairro Cabeçudas, em Laguna, foram identificados como pontos invadidos por uma quadrilha presa na última sexta-feira. Um gaúcho e três moradores da região, com idades entre 20 e 26 anos, aguardam julgamento na Unidade Prisional Avançada (UPA) de Laguna. Mesmo atrás das grades, o grupo continua sob investigação.

Nos últimos 30 dias, pelo menos 12 estabelecimentos comerciais foram alvos de assaltantes no município. Segundo as vítimas, a quadrilha agia sempre encapuzada e armada com pistolas e revólveres.

Durante a prisão dos acusados, em uma casa alugada em Laguna, alguns produtos de procedência duvidosa foram recuperados. Em uma das ações do grupo, um peixeiro chegou a ser amarrado em uma carroça, nos fundos da sua peixaria, e teve os olhos vendados.

O delegado Rubem Thomé coordena as investigações. “Houve um decréscimo no número de assaltos na região desde que o grupo foi preso. Isto leva a crer que eles são os principais suspeitos da maioria dos roubos em Cabeçudas nos últimos 30 dias. Já levantamos provas de participação em cinco assaltos. Até o fim do mês, devemos concluir o inquérito”, explica Rubem.
Não houve feridos durante a ação dos acusados.