Maycon Vianna
Tubarão

“Para de me bater, você vai me matar, está me machucando…” Os gritos de desespero de uma costureira de 34 anos moradora do bairro Humaitá são a prova de que ela foi brutalmente agredida pelo marido, por volta das 23 horas de quarta-feira. O homem havia saído de casa no início da noite, voltou embriagado e foi tirar satisfação com a esposa.

“Ele já me agrediu várias vezes. Não consigo mais conviver com uma pessoa assim, daqui a pouco ele acaba com a minha vida”, desabafa a vítima.
O homem de 38 anos é pedreiro e, segundo os vizinhos do casal, há pelo menos 15 dias agride a mulher. E na noite de quarta-feira, ela não aguentou mais sofrer tantas agressões e resolveu acionar a Polícia Militar através do telefone de emergência.

Os policiais chegaram à casa com duas viaturas e, no exato momento em que avistaram o agressor, logo o imobilizaram para efetuar a prisão em flagrante. “Quando chegamos na casa, era nítido que o homem estava completamente fora de si. Não falava nada direito. Infelizmente, a vítima agredida, ficou com muitas marcas em seu corpo”, relata um policial militar.

A costureira de Tubarão foi agredida com socos no rosto, nos braços, na barriga e nas pernas. Para tentar defender-se das violentas investidas de seu companheiro, com quem tem um relacionamento de mais de 22 anos, ela utilizava os braços (veja na foto em detalhe), que ficaram roxos e inchados.

Após a prisão em flagrante, o homem foi encaminhado à Delegacia de Proteção à Mulher, ao Adolescente e ao Idoso de Tubarão, onde prestou depoimento e ficou detido.
Na mesma noite do crime, por volta das 23h30min, a mulher também relatou o fato à Polícia Civil e depois foi liberada.