Rafael Andrade
Tubarão

Um empresário de Tubarão quase caiu em um possível golpe de estelionato por telefone. O ‘diálogo’: “Alô, muito bom dia, trabalho em uma empresa de cadastro de lista telefônica, por favor, quero confirmar alguns dados… O CNPJ da empresa é… O endereço ainda é o mesmo? Ok, agora vou lhe enviar um fax e preciso de sua assinatura, seu CPF e RG e o retorno deste documento. Muito obrigado”.
O possível golpe começa no oferecimento de alguns serviços, como a permanência do nome no auxílio à lista. Até que um fax é enviado para que o contrato seja firmado. A possível ação estelionatária resulta em 12 parcelas de R$ 198,00. Os boletos são encaminhados via Correios.

Esta é a terceira vez que o empresário Gilson Michels, proprietário da MS Informática, passa pela mesma situação. “Quero alertá-los sobre essas ligações. Tive que arcar muito dinheiro duas vezes, agora já chega”, avisa Gilson.
O Notisul entrou em contato com a empresa de telefonia. A atendente declarou que este tipo de operação é comum, mas não há cobrança pelos serviços. Ela não soube esclarecer sobre as 12 parcelas de R$ 198,00.