Muitas pessoas pararam para observar, pois achavam que se tratava de um incêndio.
Muitas pessoas pararam para observar, pois achavam que se tratava de um incêndio.

Tubarão

A fumaça que saía de uma loja comercial, na rua Padre Bernardo Freuser, no centro de Tubarão, na quarta-feira à noite, mobilizou o Corpo de Bombeiros e a Polícia Militar. Moradores, comerciantes e pessoas que passaram pela rua ficaram assustados e acharam que se tratava de um incêndio.

A passagem foi fechada pelos policiais militares para isolar o local. No entanto, tudo não passou de um alarme falso. O estabelecimento havia sido dedetizado e os produtos utilizados para o procedimento ocasionaram a fumaça.
Segundo o sargento Diego Souza, do Corpo de Bombeiros, várias ocorrências deste tipo já foram atendidas. “Em muitas, tivemos que forçar a entrada dos lugares porque não havia ninguém e as pessoas que estavam perto não tinham conhecimento”, revela o sargento.

Diego também destaca que, por outro lado, existem empresas de dedetização que avisam a corporação de que o serviço será realizado e passam o endereço. “Daí, quando alguém liga para avisar da fumaça, já temos ciência e explicamos a situação”, detalha o sargento.
Ele ainda faz um alerta sobre as instruções nos rótulos dos produtos para a dedetização. “A grande falha é que muitos não leem. Todos os manuais têm o mesmo objetivo: recomendam que, ao usar o produto, avisem os vizinhos e os bombeiros”, observa o sargento.