Rafael Andrade
Tubarão

As cúpulas das polícias Militar, Civil e juízes eleitorais reúnem-se hoje, às 17 horas, no fórum de Tubarão, para discutir sobre propaganda eleitoral irregular, e prisão de eleitores antes, durante e após o pleito deste domingo.

Mais de 150 policiais militares e civis atuarão no dia das eleições na cidade. Até PMs de folga serão convocados para garantir a segurança nos arredores dos colégios eleitorais. Todas as delegacias da região terão atendimento de delegados e escrivãos para eventuais prisões.

“São extremamente proibidas propagandas eleitorais no dia do pleito. Os crimes mais comuns são boca de urna, compra de votos e transporte de eleitores. Não há nenhuma lei específica que proíba a venda e o consumo de bebidas alcoólicas neste domingo, mas é preciso ter controle e bom senso”, explica o juiz eleitoral Heron Pinter Pizzolati, responsável pela 33ª zona de Tubarão, a maior da região, com mais de 65 mil eleitores.

O transporte de eleitores é o crime com punição mais severa. Caso haja prisão em flagrante, o acusado será encaminhado ao Presídio Regional de Tubarão e poderá ficar recluso por até seis anos em regime fechado, além de ser obrigado a pagar multa.

“Vamos tentar garantir a ordem antes, durante e após as eleições de 3 de outubro (este domingo). Haverá policiais em praticamente todos os colégios eleitorais, pelo menos nos maiores da cidade”, avisa o major Flávio Knaben, comandante da PM da região.
“Teremos plantões em todas as delegacias. Os infratores serão punidos conforme rege a lei”, garante o delegado regional em Tubarão, Renato Poeta.