Rafael Andrade
Tubarão

Este fim de semana não deve ser diferente dos outros deste ano para boa parte dos quase 300 moradores da rua Tereza Cristina, no bairro Oficinas, em Tubarão. Dois terrenos baldios na comunidade viraram pontos de uso de crack, tráfico, prostituição e moradia para andarilhos.

“A presença dessas pessoas gera problemas graves e medo. Já invadiram a minha casa três vezes este ano. A minha mãe, de 72 anos, já flagrou os viciados que furtaram vários objetos”, informa a assistente social Telma de Carvalho, vizinha de um dos terrenos.

“Há uma semana, um grupo de policiais militares armados e com lanternas corria pelo meu lote atrás de alguns desses arruaceiros”, lembra outra moradora da rua, a dona de casa Ivonete Machado Mendes.

A PM faz rondas constantes no local. A precária iluminação da via pode proporcionar a vinda dos usuários. A população pede mais atenção da prefeitura em relação a este problema, pois muitas lâmpadas estão queimadas.
Existem vários pontos de venda de crack na região. “Este ‘bando’ vem de comunidades das proximidades, fuma esta droga viciante que, quando acaba, faz com que eles pratiquem arrombamentos e furtos nas casas. Não aguentamos mais a situação”, lamenta Telma.

Os proprietários dos imóveis já foram notificados para cercarem o local. O Ministério Público e a Polícia Civil também já receberam várias denúncias e ainda avaliam uma maneira de ‘espantá-los’.