Rafael Andrade
Armazém

“Conseguimos o depoimento de uma testemunha crucial que nos contou, com detalhes, como foi a entrada do assassino no apartamento da vítima e a sua fuga”, informa o delegado José David Machado, responsável pelo inquérito que investiga a morte da costureira Jucélia de Castro, 33 anos. Ela morreu no último domingo, com uma facada no peito e garrafadas na cabeça, em Armazém.

As investigações da Polícia Civil apontam para um crime passional. O acusado é o ex-marido da vítima, de 32 anos. O casal separou-se há 17 dias. Jucélia não queria manter o relacionamento, mas o seu ex-companheiro insistia.

A testemunha crucial informou ao delegado que o suposto homicida teria entrado no apartamento por volta da 2h05min e saiu às 2h15min. “Ele pulou a janela em direção a uma marquise, pulou novamente no estacionamento do condomínio, onde Jucélia morava, cerca de 4,5 metros, e saiu mancando”, informa José David.
No fim da tarde de ontem, o advogado do acusado procurou o fórum para colher informações sobre o caso, mas já era tarde. Um mandado de prisão temporária já havia sido expedido, segunda-feira, contra o ex-cônjuge.

O suspeito também é residente de Armazém, mas está foragido. “Se alguém souber de alguma informação sobre o se paradeiro, favor entrar em contato com a Polícia Civil de Armazém, ou pelo número 197”, ensina José David.
Foi o primeiro homicídio registrado em mais de dois anos na cidade, que tem pouco mais de 7,5 mil habitantes. O município é bastante pacato.