Nesses dias de isolamento social é de extrema importância que se tomem os devidos cuidados para a prevenção ao coronavírus, mas também para evitar acidentes domésticos, com o uso do álcool 70%.

A versão líquida estava proibida desde 2002 para a venda e foi liberada para os cidadãos por 90 dias, para a esterilização dos ambientes. E a versão em gel é liberada para a venda normalmente.

A diferença entre as duas versões é que na apresentada em gel, em caso de contato com fogo, não ocorre uma explosão, como seria na líquida. Porém, o álcool em gel leva mais tempo para evaporar.

É preciso ter cuidado ao utilizar as duas versões, principalmente em ambientes fechados. A recomendação é que se utilize apenas a quantidade necessária para higienizar as mãos ou superfícies, com os ambientes ventilados e aguardar a evaporação total do produto. Também é preciso controlar a utilização em crianças, evitando que elas fiquem próximas a locais que possam levar a uma queimadura.

Também para evitar as queimaduras, a indicação é que jamais se utilizem fósforos e isqueiros logo após a aplicação de álcool nas mãos ou superfícies. Nunca se deve derramar álcool sobre o fogo, pois a chama pode seguir o caminho do álcool e chegar até as suas mãos.

Em casos de queimaduras graves

Primeiramente ligue para o Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina pelo telefone 193, explique – com calma – o que aconteceu. Enquanto a ambulância se desloca para o local do atendimento, coloque a parte queimada em água corrente, em temperatura ambiente.

Jamais utilize as substâncias caseiras, como borra de café ou pasta de dentes, por exemplo, porque isso pode agravar a situação. Também não aplique pomadas ou medicamentos sem a orientação médica. Não estoure as bolhas, que podem se formar devido a queimadura ou tente descolar peças de roupa que podem ficar grudadas sobre a pele, deixe isto para um profissional.