Maycon Vianna
Tubarão

Gritos, correria, tiros, crianças aos prantos. A comunidade do Morrotes ficou em pânico nesta sexta-feira. “Meu filho não parava de chorar, parecia a favela da Rocinha. É um absurdo ocorrer este tipo de coisa em Tubarão”, relata uma dona de casa de 45 anos, moradora da localidade há seis anos.
A tranquila rua Almir Santos Miranda ficou movimentada com a presença da PM e do Corpo de Bombeiros por volta das 11h23min.

Um policial de folga encontrava-se em um bar com os amigos quando um jovem de 23 anos, morador das proximidades, que já tem passagem pela polícia, ameaçou matá-lo. Minutos depois, ele retornou ao local, começou a xingar o mesmo policial e, junto com um comparsa, voltou a ameaçá-lo de morte. Inclusive, colocou a mão na cintura para simular que estava armado. Foi então que o policial deu voz de prisão e pediu reforço.

Quatro homens do Pelotão de Patrulhamento Tático (PPT) da Polícia Militar de Tubarão foram até o local e iniciaram a perseguição. Um dos rapazes conseguiu fugir e o outro resistiu à prisão e pulou um muro de aproximadamente dois metros, caiu no cercado da residência todo machucado e foi encurralado em uma parede nos fundos da casa.

Os policiais efetuaram alguns disparos para cima com bala de borracha. Nenhum dos tiros atingiu o rapaz, que tentou fugir e foi preso em seguida. Ele foi encaminhado ao Hospital Nossa Senhora da Conceição, com algumas escoriações. E, por volta das 13h30min, foi encaminhado à Central de Polícia Civil de Tubarão, onde foi feito o flagrante. Na sequência, ele foi conduzido ao Presídio Regional. Ele estava em liberdade provisória há sete dias.