Amanda Menger
Pedras Grandes

O caso do sumiço de dinheiro das contas poupanças do Besc de Pedras Grandes terá um novo capítulo nos próximos dias. O procurador da república em Florianópolis, Marcelo da Mota, apresentará denúncia contra o ex-gerente geral do banco, Edílson Vieria de Souza, sua esposa e cunhada, além do ex-gerente administrativo, Márcio Martins, à justiça federal por crimes contra o sistema financeiro.
“Eu recebi os documentos da investigação feita pelo delegado da Central de Polícia Civil de Tubarão, Marcos Ghizoni, e resolvi me pronunciar de forma definitiva. Os trabalhos conduzidos pelo delegado foram muito bons e isso agilizará o processo”, afirma o procurador.

Ele solicitará a continuação das investigações pela Polícia Federal (PF). “É que algumas coisas ainda podem ser apuradas. Algumas pessoas precisam ser localizadas também e isso pode ser feito pela PF, paralelamente ao andamento do processo”, explica Marcelo.
Também nos próximos dias, o procurador deve solicitar o sequestro de bens. “Estou analisando de que forma iremos proceder e também se vamos pedir a prisão preventiva dos denunciados”, revela Marcelo.

A denúncia será por crimes contra o sistema financeiro, formação de quadrilha, apropriação de valores de correntistas, gestão fraudulenta e ainda subtração de função pública. “Com o processo judicial, as testemunhas serão arroladas, tanto da defesa quanto da acusação, para uma audiência de instrução. Só depois disso é que o juiz federal da 3ª vara criminal de Florianópolis dará a sentença. Estimo que isso deve ocorrer no prazo de um até dois anos”, avalia o procurador.

Cronologia do caso Besc
• Dia 20 de março – Correntistas descobrem que o dinheiro aplicado nas contas poupanças havia ‘desaparecido’ da agência do Besc de Pedras Grandes.
• Dia 23 de março – O caso vira notícia estadual. Os clientes do banco procuram a imprensa e a polícia.
• De 1º a 10 de abril – Auditores do BB seguem o levantamento do prejuízo, policiais civis da regional de Tubarão investigam o caso, mais de 200 clientes registram boletim de ocorrência e o Banco do Brasil começa a ressarcir clientes que comprovadamente tiveram o dinheiro retirado das contas-poupanças.
• Dia 15 de abril – Polícia prende cinco pessoas, quatro delas suspeitas (dois ex-gerentes, a esposa e a cunhada de um deles) de envolvimento no caso de sumiço de dinheiro da agência do Besc de Pedras Grandes.

• Dia 19 de abril – Márcio Martins cumpre a prisão temporária e é liberado do Presídio Regional de Tubarão. Edílson Vieira de Souza, sua esposa e cunhada são mantidas presas e a prisão temporária é prorrogada por mais cinco dias. Depois de passar mal, Edílson Vieira de Souza é internado no Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC).
•Dia 22 de abril – Justiça nega habeas corpus para o ex-gerente da agência do Besc de Pedras Grandes, Edílson Vieira de Souza, a sua esposa e cunhada.
• Dia 25 de abril – Álvara de soltura é expedido e os três suspeitos são liberados.