Rafael Andrade
Braço do Norte

Uma fatalidade tirou a vida de Alessandro Gustavo Siqueira, 9 anos, natural de Tubarão. Ele morreu na noite de segunda-feira, no Hospital Santa Teresinha, em Braço do Norte, supostamente depois de ter ingerido medicamentos. Porém, após a sua morte, o corpo foi liberado para a família sem o fato ter sido comunicado à Polícia Civil, que deve sempre ser avisada neste tipo de ocorrência.

Policiais souberam do caso por intermédio de um programa de rádio. Os agentes Alexandre Martimiano e Leandro de Souza Justino foram ao hospital e constataram que a morte realmente ocorreu após havia a ingestão de remédios. Segundo familiares, o menino não tinha nenhuma alergia a medicamentos.

O delegado Marcelo Bittencourt foi avisado sobre o procedimento e fez contato com a mãe de Alessandro. O corpo foi velado na Capela Renascer, no bairro Passagem, em Tubarão.

Diante das circunstâncias e com autorização da mãe da criança, o corpo foi retirado da capela ontem à tarde e encaminhado ao Instituto Geral de Perícias (IGP) de Tubarão, para que fosse realizada uma necropsia.

Os peritos do IGP ainda foram até a casa da criança, onde havia muito vômito no chão e em alguns móveis, e coletaram o material para a realização de exames. O caso será investigado para que seja apurada a causa da morte.

No hospital
O Notisul tentou contato com o Hospital Santa Teresinha ontem à noite, mas ninguém estava autorizado a falar oficialmente sobre o fato. Novo contato será feito hoje.