Rafael Andrade
Imbituba

Dois homens acusados de serem os autores de dois homicídios no último fim de semana, em Imbituba, foram presos ontem pela Polícia Civil. Um deles fez 32 anos segunda-feira e, de presente, ganhou um espaço de dois metros quadrados em uma das celas da Unidade Prisional Avançada (UPA) de Imbituba.

O delegado Luiz Carlos Cardoso Jeremias Filho coordenou as investigações. Menos de 24 horas após os homicídios, os acusados já foram identificados. “Era uma questão de tempo. Vamos concluir o inquérito após o levantamento de mais algumas informações e representar pela prisão preventiva dos dois.

Os crimes ocorreram nos bairros Nova Brasília e comunidade de Vila Nova. O acusado de ter matado o pedreiro Dalvan José de Jesus, 21 anos, em frente a uma danceteria, na madrugada de sábado, no bairro Nova Brasília, também será indiciado por duas tentativas de homicídios. Ele pode ser condenado a até 60 anos de prisão em regime fechado. A lei prisional brasileira prevê a manutenção do detento somente por 30 anos.

O outro detido tem 34 anos e era vizinho da vítima na comunidade de Vila Nova. Janael Sebastião de Oliveira, 35 anos, foi morto na noite de domingo com dois tiros, que teriam sido disparados pelo vizinho, em frente a um bar. “As investigações apontam uma richa antiga entre o atirador e Janael. Este caso está muito claro, pois várias pessoas presenciaram o crime”, explica Jeremias. Se condenado, o ‘vizinho’ deve ficar recluso por até 30 anos.
Os acusados aguardam por julgamento na UPA de Imbituba. Os dois casos devem ir a júri popular no próximo ano.