No estado, várias pessoas mobilizaram-se para entregar as armas. Ter uma pistola ou revólver ilegal implica em uma série de riscos, além de ser contra a lei.
No estado, várias pessoas mobilizaram-se para entregar as armas. Ter uma pistola ou revólver ilegal implica em uma série de riscos, além de ser contra a lei.

Mirna Graciela
Tubarão

O número de armas entregues dentro da Campanha Nacional do Desarmamento é pequeno, em Tubarão. As pessoas que desejarem participar têm duas opções de locais para levar as armas e munições.
Um deles é a 5º Delegacia Regional de Polícia (Ciretran), na avenida Expedicionário José Pedro Coelho, no centro da cidade. O outro ponto é no 5º Batalhão da Polícia Militar, no bairro São João-ME. Na delegacia, apenas dez armas foram recebidas até a última semana.

O delegado regional, Renato Poeta, atribui a pouca adesão em relação a outras campanhas em função da insegurança e da crise de violência no país. “As pessoas não estão com vontade de se desarmar. Aconselhamos aqueles que possuem armas, que façam tudo dentro da legalidade, que obtenham o registro”, orienta o delegado.

Poeta ainda explica que o registro feito na Polícia Federal possibilita que o cidadão possa ter sua arma em casa ou no ambiente de trabalho. “É o ideal para obter um mecanismo de defesa, de forma consciente e lícita”, aconselha.
O procedimento é igual para todos. A identidade não é revelada e a pessoa recebe o dinheiro pela entrega. Tudo que é recolhido é encaminhado ao Exército e posteriormente destruído.

Como é o procedimento para entregar uma arma? 

Em Tubarão, para realizar a entrega de arma, a pessoa deve se dirigir à 5º Delegacia Regional de Polícia (Ciretran) ou ao 5º Batalhão da Polícia Militar, no bairro São João-ME.
A entrega não implica em qualquer represália ao cidadão. Mesmo que a arma tenha registro de furto, por exemplo, pois a questão é priorizar o desarmamento. Quando há o porte legal, deve-se levar a documentação, que fica automaticamente cancelada.

Uma guia de saque é gerada por meio de um site, acessado no órgão em que a pessoa for (civil ou militar), onde aparece o valor correto, que varia entre R$ 100,00 e R$ 300,00, de acordo com a marca e a qualidade da arma. Após, são emitidos um boleto e uma senha.
Com este dois itens, a pessoa pode ir ao banco, no primeiro dia útil após a entrega, e fazer o saque. Réplicas de armas e as fabricadas em casa não podem ser trocadas. Mais informações podem ser obtidas por meio do site www.entreguesuaarma.gov.br.