Rafael Andrade
Tubarão

Um fotógrafo tubaronense de 44 anos quase foi mais uma vítima de estelionatários. Os bandidos tentaram lhe aplicar o golpe do sequestro através do telefone de sua casa, ontem, às 14 horas.

No início do diálogo, no outro lado da linha, a voz desesperadora de uma moça: “Alô, pai, fui sequestrada, me assaltaram e agora estão comigo. Acho que eles vão me machucar, estou com medo”. Nesta hora, um homem supostamente toma o telefone da moça e, com ferocidade, explana suas intenções ao pai desesperado. “Estou com sua filha, não se preocupe, ela não vai se machucar. Faça tudo o que mandarmos, senão…”.

O fotógrafo entrou em estado de choque, pois a voz da garota era idêntica à de sua filha de 22 anos. “Assustei-me assim que ela falou sobre o sequestro. Parecia a voz de minha filha. É uma sensação de impunidade total. Só então, quando indaguei o provável sequestrador sobre onde eles estavam, comecei a perceber que era uma farsa”, relata.

Imediatamente, o tubaronense (sem desligar o telefone fixo) entrou em contato com a filha, por celular, e, por coincidência, o aparelho só chamava e ninguém atendia. “Neste momento, meu coração apertou. Só queria minha filha em meus braços aquela hora”, declara.

Após dez minutos de angústia, finalmente, o alívio. O fotógrafo conseguiu contato com a empresa em que sua filha trabalha e falou com ela. “Pai, estou bem. Calma, não ocorreu nada comigo, estou aqui trabalhando. Se te ligaram, é uma farsa, um golpe”, tranquilizou a jovem. “Meu coração aliviado me fez chorar de felicidade”, finaliza o fotógrafo.

Portanto, fique atento, aja rápido e procure informações em tempo real com parentes ou amigos se o seu telefone tocar e tentarem também lhe aplicar este golpe.