A ferrugem tomou conta da locomotiva e a água parada e acúmulo do lixo ao redor representam o descaso - Foto:Silvana Lucas/Notisul
A ferrugem tomou conta da locomotiva e a água parada e acúmulo do lixo ao redor representam o descaso - Foto:Silvana Lucas/Notisul

Jailson Vieira
Tubarão

Uma das simbologias mais identificadas do município de Tubarão é a locomotiva a vapor, monumento em exposição na Praça Dona Thereza Christina, no Centro. Há 30 anos o local era constantemente visitado por famílias que iam apreciar a Maria Fumaça e observar os peixinhos ao redor da estrutura. Hoje o maquinário sofre com a ação do tempo e com os maus hábitos. A ferrugem tomou conta e o acúmulo de água parada e lixo ao redor é um descaso. A preocupação, principalmente com a temperatura mais alta, é a proliferação do mosquito da dengue. Santa Catarina está em estado de alerta e Tubarão está incluída nos 57 municípios de risco.

A dengue é uma doença que pode atingir a todos, e desta forma, combatê-la é um compromisso e responsabilidade de toda a sociedade. Governo federal, estaduais e prefeitos devem fazer com que a população se conscientize com os cuidados da saúde pública. Com isso, esta união ajudará o país a diminuir os casos desta mazela em diversas cidades. 

Neste ano foram 3.593 casos confirmados de dengue em Santa Catarina, destes 3.274 autóctones (transmissão dentro do estado). Em Tubarão, um caso foi confirmado e o município que teve o maior registro foi Itajaí, com 3.114 pessoas.

Conforme o coordenador de endemias da Cidade Azul, Hélio de Oliveira Junior, muitas ações foram feitas durante todo o ano e neste período mais quente, elas serão intensificadas. “Vistoriamos um total de 32 localidades e temos um total de 323 armadilhas visitadas a cada sete dias e 64 pontos estratégicos analisadas de 15 e 15 dias, como os chafarizes, por exemplo," esclarece.

De acordo com Hélio, a equipe de endemias registrou em Tubarão neste, um total de sete focos do mosquito Aedes Aegypti nos meses de janeiro, março, abril, maio e o último em agosto. No estado são 6.703 focos do mosquito transmissor da Dengue, Zika e Chikungunya. Nesta semana foram liberados R$ 3,4 milhões para os municípios realizarem ações de combate ao mosquito Aedes Aegypti.

A Maria Fumaça
A locomotiva na praça da cidade foi um presente da Ferrovia Tereza Cristina (FTC) ao município. Os representantes da empresa afirmam que mesmo não tendo mais responsabilidade na manutenção e na conservação do patrimônio, está sempre à disposição para buscar soluções.
O diretor-presidente da fundação de cultura e esporte, José Acco Júnior, conta que em 2013 foi realizado um projeto para a restauração da locomotiva, que não foi efetuado porque o valor orçado para o trabalho, R$ 100 mil, era alto e inviável para os cofres municipais.

Mutirão ocorre na região
As primeiras ações de prevenção devem ocorrer em alguns municípios. Capivari de Baixo e Imbituba sairão na frente e colocarão em prática alguns projetos. Grupos farão blitz simultaneamente nos bairros em busca de conscientização da população para que contribua no combate ao mosquito Aedes aegypti.

Criadouros
O Aedes Aegypti tem como criadouros os mais variados recipientes que possam acumular água parada, domiciliares e peridomiciliares. Os mais comuns são pneus sem uso, latas, garrafas, pratos dos vasos de plantas, caixas d’água descobertas, calhas, piscinas e vasos sanitários sem uso. A fêmea do mosquito pode, também, depositar seus ovos nas paredes internas de bebedouros de animais e em ralos desativados, lajes e em plantas como as bromélias.