Há 24 anos, o Brasil perdia uma das maiores banda de rock dos anos 1990. Os cinco guarulhenses do grupo Mamonas Assassinas morreram em um acidente aéreo que chocou o país, no dia 2 de março de 1996. Apesar da tragédia e do tempo, a memória da banda segue atual e suas músicas podem ser ouvidas em eventos até hoje. 

Dinho, Júlio, Samuel, Bento e Sergio deixaram Brasília após um show e embarcaram em um avião rumo ao Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos, onde eram esperados por familiares. Quando se aproximou da região da Serra da Cantareira, o sinal da aeronave foi perdido e o acidente confirmado pela torre de comando. A polícia concluiu que o acidente se deu por alguns motivos, como falha humana e condições climáticas.

O acidente causou comoção, já que a banda fazia sucesso entre todas as idade e se apresentavam ao vivo todos os fins de semana em grandes atrações da televisão, com suas músicas irreverentes e figurinos exóticos. 

É possível conhecer um pouco sobre a banda no documentário “Mamonas Para Sempre”. Amigos, familiares e profissionais contam como surgiu a banda e relembram os momentos especiais, shows e brincadeiras, além do momento mais marcante, quando as mortes foram confirmadas. 

No Parque Cecap, local onde a banda surgiu, existe uma praça que recebeu o nome do grupo e uma estátua de uma mamona, símbolo da banda, além de um painel ao ar livre com um grafite que retrata os integrantes do grupo Mamonas Assassinas.