Pinit/Divulgação
Pinit/Divulgação

Florianópolis

Com popularidade de 80% e quase 70% das intenções de votos, o favorito do eleitorado de 110 milhões de pessoas é o atual presidente do país, Vladimir Putin. Santa Catarina acompanha com atenção a eleição deste domingo porque mantém com a Rússia uma relação de parceria que envolve áreas do agronegócio, com a exportação da carne suína e aves, e na cultura, com o Balé Bolshoi.

Há 18 anos no poder, Putin concorre com sete candidatos. O oitavo seria o opositor Alexei Navalny, que foi considerado inelegível pela Justiça russa, sob o argumento de ter antecedentes criminais em um caso de corrupção que ele alega ter sido politicamente motivado. Na última semana, especificamente na quarta-feira (14), o governador do Estado, Eduardo Pinho Moreira, se reuniu com o embaixador da Rússia no Brasil, Sergei Pogossiovitch Akopov, com o presidente da Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc), Glauco José Côrte, e empresários.

O encontro realizado em Florianópolis teve como objetivo gerar novas oportunidades e aprimorar futuros projetos. A suspensão da importação da carne suína produzida no Brasil em novembro do ano passado também foi tema no encontro. Moreira disse que o Governo do Estado está à disposição para que se restabeleça em plenitude o comércio entre os dois países. “Rússia é um grande parceiro do Brasil e de Santa Catarina. É o nosso maior comprador de carne suína. Tivemos algumas dificuldades nos últimos meses, mas esperamos, o mais breve possível, voltar a exportar para o país”, afirmou o governador.

O encontro foi realizado após o seminário sobre parcerias entre Santa Catarina e Rússia, promovido pela Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc) com a Câmara Brasil-Rússia de Comércio, Indústria e Turismo e a Nemetz & Kuhnen Advocacia. Durante o seminário, foi assinado o termo de implantação da Unidade de Representação da Câmara Brasil-Rússia de Comércio, Indústria e Turismo em Florianópolis. O governador assinou, à tarde, como testemunha.

Para o embaixador da Rússia, Sergei Pogossiovitch Akopov, o encontro com o governador, assim como a implantação da Câmara Brasil-Rússia de Comércio, Indústria e Turismo, foi muito importante. “Devem surgir novos horizontes e grandes possibilidades nas relações entre o Estado e a Rússia. Hoje, as conversas e os esclarecimentos ajudaram para chegar mais perto da solução de problemas. Estou convencido que todos os problemas técnicos serão resolvidos e poderemos continuar nossos negócios e aumentar ainda mais as nossas parcerias. Vamos trabalhar e fazer o possível para que tudo se acerte”, relatou o embaixador.

Nas Eleições 

Neste domingo, na Rússia, nenhum dos sete candidatos a chefiar o Kremilin consegue, segundo as pesquisas, obter 10% das intenções de votos. Eles representam diferentes setores da sociedade russa e diferentes gerações. Entre os representantes das velhas gerações de políticos estão, além de Putin, de 65 anos, o polêmico ultranacionalista do Liberal Democrático Vladimir Zhirinovsky, de 71 anos, e o líder do Partido Liberal Yabloko, Grigory Yavlinsky, de 65 anos.

Aos 58 anos, Pavel Grudinin é o candidato do Partido Comunista, que também é ultranacionalista. Sua candidatura representa uma surpresa porque a expectativa era de que quem entraria na disputa seria o veterano líder, Gennady Zyuganov.

A nova geração é representada pela única candidata mulher, Ksenia Sobchak, de 36 anos, que entrou na política recentemente. A lista de candidatos é completada pelo comunista – este de vertente stalinista – Maxim Suraikin, de 39 anos, o empresário Boris Titov, de 58, e o nacionalista Sergey Baburin, de 59.

A disputa pelo segundo lugar nas eleições está entre Grudinin e Zhirinovsky, que têm entre 6% e 7% dos votos. Grudinin é uma espécie de “magnata vermelho”, que dirige a Lenin Sovkhoz, uma das empresas agrícolas mais bem-sucedidas da Rússia, e foi acusado insistentemente de ter grandes quantias de dinheiro e propriedades em outros países.

Candidato pela sexta vez e com uma margem entre 5,6% e 6,6% das intenções de votos, Zhirinovsky é conhecido por extravagâncias e discursos agressivos em relação ao Ocidente. Nesta campanha, atacou a apresentadora de televisão Ksenia durante um debate e disse que, caso seja eleito presidente, lançará um ataque preventivo contra os Estados Unidos.

Ksenia é uma popular apresentadora de TV na Rússia, filha do ex-prefeito de São Petersburgo Anatoli Sobchak , considerado mentor político de Putin,. Em uma das pesquisas, ela chegou a aparecer com 4% das intenções de voto, embora na maioria das pesquisas tenha alcançado apenas pouco mais de 1% das intenções.

É possível que o veterano economista Yavlinski – artífice das reformas econômicas de Mikhail Gorbachev – alcance um percentual próximo ao de Ksenia. Seu partido, o Yabloko, não tem representação parlamentar.

Titov é empresário. Ele dirige o Partido do Crescimento; Baburin. nacionalista, Titov já foi parlamentar pelo partido Rodina (Pátria). Já Suraikin é um comunista radical que alguns acreditam ter sido lançado como candidato estrategicamente para tirar votos de Grudinin.