O governo de Santa Catarina editou novo decreto, nesta segunda-feira (16), para adoção de medidas preventivas contra o novo coronavírus em órgãos e entidades da administração pública estadual. O Estado tem seis casos confirmados e, segundo o secretário de Estado da Saúde, Helton de Souza Zeferino, todos os contágios ocorreram em contato com pessoas que contraíram a doença fora do estado.

As entidades e órgãos podem expedir atos complementares para regular situações específicas e de acordo com a progressão da doença Covid-19, que é provocada pelo novo vírus em circulação. No entanto, estarão suspensas a partir da publicação da medida em Diário Oficial todas as reuniões, treinamentos e demais atividades do setor público estadual que não sejam consideradas imprescindíveis.

O decreto prevê trabalho remoto a servidores com mais de 60 anos ou que estejam enquadrados no grupo de risco. Pessoas que viajaram para exterior os últimos sete dias e pessoas que vivem com idosos também poderão trabalhar de casa.

O secretário disse que pelo fato de não ter sido diagnosticado contágio interno, as medidas no âmbito preventivo ainda não são tão radicais como em outros estados. Ele citou o caso de São Paulo e Rio de Janeiro, onde já n]ão é mais possível identificar a origem da contaminação.

“Nós trabalhamos com uma estimativa de dados epidemiológicos e estamos fazendo sim o dimensionamento de leitos que vamos precisar no Estado de Santa Catarina”, disse. “O que estamos vivendo é um momento inicial de confirmação de alguns casos em território catarinense e nós enquanto vigilância em saúde temos compromisso em acompanhar”.

O que diz o decreto:

Agentes públicos estaduais podem desempenhar atividades em domicílio, em regime excepcional de trabalho remoto, nos seguintes casos:

– Que apresentam doenças respiratórias crônicas;

– Que coabitam com idosos que apresentam doenças crônicas;

– Com 60 anos ou mais;

– Que viajaram ou coabitam com pessoas que estiveram em outros países nos últimos sete dias.

– Agentes públicos em locais com transmissão ou contato com casos da doença

Estão suspensas por 30 dias:

– As atividades de capacitação, de treinamento ou de eventos coletivos realizados pelos órgãos ou pelas entidades da Administração Pública Estadual que impliquem a aglomeração de pessoas

-A visitação pública e o atendimento presencial do público externo que puder ser prestado por meio digital ou por telefone (confira aqui as mudanças nos serviços)

– A participação de agentes públicos estaduais em eventos ou em viagens internacionais ou interestaduais

– O recadastramento de inativos e pensionistas.

Os órgãos e as entidades da Administração Pública Estadual Direta e Indireta deverão:

– Avaliar a necessidade da realização de reuniões presenciais, adotando, preferencialmente, as modalidades de áudio e videoconferência;

– Aumentar a frequência da limpeza dos banheiros, elevadores, corrimãos e maçanetas

– Instalar dispensadores de álcool em gel nas áreas de circulação e no acesso a salas de reuniões e gabinetes.

Caso o paciente apresente os sintomas da doença, como febre, tosse, falta de ar, dores musculares e de cabeça, deve procurar atendimento em uma unidade básica de saúde. Lá os agentes de saúde farão o devido encaminhamento, se necessário, e darão as orientações em relação ao tratamento.

O Governo do Estado ainda orienta que idosos e pessoas com doenças crônicas evitem ir a eventos fechados ou com aglomerações de pessoas.

Para informações sobre o coronavírus o cidadão deve buscar as fontes oficiais do Governo do Estado. Também tem à disposição o site.