Em 2006, com a criação do Águas de Tubarão, devido ao término do contrato com a Casan, fiz a primeira pesquisa e constatei que a nossa água era a mais cara do estado.

Pensei até que, com a municipalização desse serviço, a tarifa seria reduzida, já que os nossos custos são muito abaixo se compararmos com a concessionária estadual. Passados quase dois anos, continua a mesma situação (veja o quadro abaixo).
Vejo com tristeza agora que o município vai ‘entregar’ à iniciativa privada. Para mim, não importa retorno ou compromisso de quem vai pegar essa concessão.

O fato é que vários municípios do nosso estado e do Brasil administram muito bem sua empresa de água. Aqui não poderia ser diferente, pois o investimento divulgado terá o retorno garantido em não mais de cinco anos. Quem pegar levará uma galinha dos ovos de ouro.

Sabe-se que o programa do PSDB é privatizante, pois, nos oito anos de FHC, foi uma privataria só: e isso não significou serviço melhor, tarifas mais baixas, mais investimentos ou maior geração de empregos. E a tarifa da água, com certeza, vai aumentar.

Na nossa cidade, multas de trânsito, área azul, recolhimento de lixo, algumas obras já são tudo da iniciativa privada, como manda a cartilha dos tucanos.
Creio que entregar a terceiros é temeroso e ainda é cedo. Devemos amadurecer mais essa tendência, equipar a nossa empresa e prepará-la para o futuro. Algo está errado e isso está indo muito depressa.

Essa decisão deveria passar por um plebiscito dos moradores ou um conselho formado pelo ministério público, representantes dos órgãos de classe, dos juízes, da Acit, da OAB, sindicatos, forças vivas, etc.
Afinal, se foi um ato de coragem municipalizar a água, entregar a terceiros agora seria uma falta de visão, que pode custar muito caro…