Certa vez, em uma entrevista na rádio, o locutor me perguntou o que tinha a ver hipnose com psicologia? Eu respondi: Tem tudo a ver! Através da hipnose, é possível tratar e curar vários problemas psicológicos. Muitos estudos e descobertas da área da psicologia surgiram a partir do estudo e da pesquisa da hipnose. O próprio Sigmund Freud iniciou seus estudos de psicanálise a partir do uso e da pesquisa da hipnose. 
 
Muitas pessoas ainda acreditam que hipnose é apenas o que se mostra nos programas de televisão, os chamados de show de hipnose. Nestes programas, as pessoas são hipnotizadas e comem cebola pensando que é maçã, cantam, dançam, tocam instrumentos imaginários, ficam com o corpo rígido apoiados sobre duas cadeiras e etc. De fato, esses fenômenos são possíveis com hipnose, mas são utilizados só para demonstrar, para fazer show e/ou para divertir as pessoas. 
 
Mas existe também a hipnose clínica ou hipnoterapia, onde a hipnose é utilizada para ajudar, tratar e curar as pessoas de vários problemas e dificuldades. Neste tipo de hipnose, não será realizado nenhum show, ninguém vai precisar fazer essas coisas que passam na TV. Simplesmente, a pessoa será colocada em hipnose e serão realizadas as técnicas necessárias para tratar suas dificuldades. 
 
Hoje, a hipnose clínica tem reconhecimento científico e é utilizada pela medicina, psicologia e odontologia. Existem cursos específicos para médicos, psicólogos e odontólogos se formarem em hipnose clínica e utilizarem esse recurso terapêutico em sua área de atuação. Esses cursos de formação ensinam técnicas de indução e como tratar as pessoas com hipnose. Não é necessário ter nenhum dom especial para ser um bom hipnólogo, mas é preciso muito estudo, um bom curso de formação e muito treino.
 
Hipnose é um fenômeno natural da mente humana, todos nós entramos em hipnose todos os dias de nossas vidas. Todas as noites, antes de dormir, naquele período entre a vigília e o sono, ou seja, que você está quase dormindo, mas ainda está acordado, você está em hipnose, que é esse estado intermediário entre o acordado e o dormindo. A única diferença é que na hipnose esse fenômeno é induzido por outra pessoa e, mesmo que você durma, depois de algum tempo acorda como se acorda todos os dias.  
 
Esse estado de consciência chamado hipnose sempre foi utilizado, desde as mais antigas civilizações, para ajudar as pessoas. Na atualidade, na área da psicologia, esse recurso terapêutico é utilizado para tratar as pessoas de várias dificuldades, superando traumas, vícios, medos, dificuldades e ajudando as pessoas a utilizar mais o seu potencial psicológico, suas qualidades e seus recursos internos para sua saúde, felicidade e realização.
 
É comum, por exemplo, pessoas com insônia, após algumas sessões de hipnose, chegarem ao consultório e dizerem: “Nossa, nunca dormi tão bem na minha vida”. Ou pessoas com depressão dizerem: “Que bom, aquela angústia saiu e estou novamente com vontade de viver”. Ou então pessoas com fobias relatarem: “Que maravilha, não sinto mais aquele medo”. E tantos outros exemplos de pessoas com as mais variadas dificuldades sendo ajudadas com a hipnose clínica. Acima de tudo, é para isso que a hipnose serve: ajudar as pessoas a serem mais saudáveis e felizes. Esse, com certeza, é o seu principal mérito!
 
Algumas das indicações da hipnose clínica são: ansiedade, estresse, gagueira, insônia, bruxismo (ranger de dentes), medos, fobias, timidez, transtornos alimentares (bulimia, anorexia, obesidade etc.), Depressão, alcoolismo, hábitos indesejáveis, tiques nervosos (cacoetes), transtorno obsessivo-compulsivo (TOC), tabagismo (vício cigarro), drogadição (vício drogas), síndrome do pânico, síndrome pós-traumáticas, desenvolvimento de habilidades, rompimentos amorosos, perda de pessoas queridas (luto), aumento rendimento escolar, desportivo e profissional, preparação para exames, concursos e entrevistas, aumento auto-estima e autoconfiança, disfunções sexuais, emagrecimento, regressão de memória (traumas passados).