Na minha meia idade, depois de praticar vários tipos de religiões e movimentos de baixas vibrações, sentia-me atraído pelo desconhecido. Observei, também, que alguns destes movimentos eram frequentados por pessoas problemáticas. Por isso, procurei a leitura dos grandes livros de filosofia. Magias e dos “gurus” mais admirados do mundo. Também os livros dos hebreus: Velho Testamento e Novo Testamento. Foi aí que descobri os verdadeiros ensinamentos do gênio da sabedoria, o senhor Jesus Cristo, cujos ensinamentos ultrapassam igrejas e teologias. Compreendi que tudo está em Deus e que Deus está em tudo, mas mesmo assim nem tudo está em Deus, porque as criaturas estão separadas de Deus.

Com esses pensamentos, procurei as profundezas metafísicas e atingir a realidade divina, estudando e escutando a voz silenciosa da intuição cósmica, que me levou a escrever esta mensagem.

Compreendi, então, a herança que o senhor Jesus nos deixou: amor, paz, alegria, serenidade, sabedoria e a esperança da vida eterna. Observei que as pessoas, por não terem uma visão de Deus, agem por virtuosidade. E quem não tem virtuosidade age pela caridade e quem nem disto é capaz recorre a rituais, mitos e tradições. Diante desta viabilidade, considerei que a minha missão terrestre é divulgar a verdadeira palavra de Deus, escrita nos evangelhos de Mateus e João, os ensinamentos do mestre divino, senhor Jesus o Cristo, os livros máximos da humanidade.

O homem sabe que a verdade é facilmente reconhecível, no entanto, ninguém procura entender. E ninguém aceita a verdade. Quando o homem conhece a verdade, procura realizar em si.

Um celular sem carga, isto é, sem energia, não funciona. Assim também é o homem, um instrumento em miniatura. Um instrumento mais perfeito do mundo, gerado energicamente pela fricção de dois corpos ou pela junção de dois polos. Esta energia gera um corpo de carne, que passou a viver das energias dos alimentos e do oxigênio. É assim que vivem todos os animais. Este foi o princípio: nascer, viver e morrer. Mas o universo criado por Deus não foi criado para ficar estacionado. A grandeza e a beleza, disso tudo, é a evolução. Nessa evolução, o ser humano desenvolveu o cérebro. Surgiu então o desejo de viver bem e prolongar a vida. Com a inteligência já avançada, sentiu que precisava de algo mais, ou de alguém que lhe desse uma solução. Como tudo já estava planejado na mente divina, o desejo do homem foi atendido. Foi aí que Deus enviou o Cristo, na pessoa do Senhor Jesus, para ensinar o homem a viver e encontrar o caminho da vida eterna.

O apóstolo João escreveu: “O verbo se fez carne e habitou entre nós”. Um átomo vindo da parte de Deus, para o ventre de Maria, gerou o corpo do senhor Jesus, este mesmo poder, transformou o sei corpo carnal em corpo celestial, depois da sua morte. Provou, com este acontecimento, que o homem é capaz de desenvolver um corpo espiritual dentro do seu ser. Esse foi o princípio da evolução da vida do homem. Disse o senhor Jesus: “Quem não nascer de novo não pode herdar o reino dos céus”. Quem nasce da carne é carne e quem nasce do espírito é espírito. É um viver sempre em contato com o espírito de Deus. Paulo disse aos sábios da Grécia: “Nele nós movemos, nele nós vivemos e nele nós existimos”. O senhor Jesus foi mais além dizendo: “O reino dos céus é semelhante ao fermento que uma mulher introduziu em três medidas de farinha e toda massa ficou levedada.

O homem que recebe essa vibração divina, que vem de Deus, não necessita mais de igreja e de religiões. Disse o Senhor Jesus: “Eu sou o caminho e a vida; Vossos pais comeram, beberam e morreram. E sou o pão que desce dos céus. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue viverá eternamente”. O seu sangue e sua carne representam os seus ensinamentos.

O seu amor, por aqueles que já haviam se afastado das coisas mundanas, foi tão grande que se submeteu a morrer crucificado, para ensiná-los um novo viver e encontrar no seu interior a serenidade, uma maneira de observar os acontecimentos e toda natureza divina criada por Deus.

Para aqueles que não se afastaram e ainda não ultrapassaram as coisas mundanas e as coisas da carne, Ele disse: “Que o caminho é apertado e a porta é estreita e poucos os que alcançarão. Mas venham a mim todos os que estão cansados e oprimidos. Eu vós aliviarei”.