Empresário tubaronense (Sr. Clésio) publicou texto na sessão “Opinião do Leitor”, no Notisul – página 11 de 27/01/2011 -, jornal que leio habitualmente por se tratar de meio de comunicação respeitado e coerente. Mas confesso que, por vezes, fico indignado com algumas das matérias sobre a BR-101. Não pelo trabalho dos jornalistas, mas sim pelo desrespeito às pessoas, por parte dos incompetentes ou mal intencionados gestores desta vital obra para Santa Catarina e para o Brasil.

Aliás, quem é esse tal de Dnit? Que órgão é esse e o produz em prol da sociedade em relação à duplicação da BR-101? Fiscaliza? Executa obras? Gerencia? Ou nada faz, além, é lógico, de consumir significativos recursos públicos? Na minha singular opinião, são agentes irresponsáveis que não têm nenhum respeito com a vida das pessoas as quais são ceifadas todos os dias. Focando especificamente o trecho Laguna-Jaguaruna, é uma afronta à dignidade humana! Será que não existe instrumento jurídico para cobrar responsabilidades dos prestadores de serviços e também desses irresponsáveis gestores? Ou será que os interesses individuais estão sobrepujando os interesses da coletividade?

Vejo estradas e obras de arte inacabadas, não iniciadas, mal sinalizadas, e não podemos esquecer algumas de péssima qualidade. Reflito, mas não consigo entender quão grande é o nível de irresponsabilidade e, sinceramente, estranho que os defensores do povo pouco ou nada fazem. Se eles estão agindo, não divulgam suficientemente ao povo ou em suas ações não há qualquer eficácia. Assim, concordo com o empresário, o povo tem que cobrar! Mas, de quem? O povo talvez devesse perguntar: Quem tem instrumentos para se responsabilizar ou assumir esta cobrança? Do governo, Ministério Público, Tribunal de Contas da União, senadores, deputados, prefeitos, vereadores, ou é responsabilidade dos gestores dos órgãos públicos que são pagos pelo povo para executar tal função e atribuição? Tenho dúvidas se são incompetentes ou mal intencionados, pois fecham os olhos para esse estado de coisa que ocorreu ontem, hoje e ocorrerá amanhã, certamente.

Ah! Lembrei do instrumento democrático “voto”. Esse está falido, os eleitos na região em 2010 poucos merecem nossa confiança, ou o que é ainda pior, não têm força política para exigir a colocação de uma placa de sinalização adequada na criminosa rodovia da morte (BR-101). Aliás, depois de ter passado a eleição, já estão cuidando dos interesses particulares para as próximas eleições (2012). Os eleitos em 2010 já esqueceram o povo e aqueles que foram derrotados já rasgaram a “bandeira” dos compromissos em prol da sociedade e debandaram para ocupar algum cargo público, “uma boquinha”.

Assim, conclamo os meios de comunicação para que continuem a denunciar, cobrar e defender o povo. Também deixo um pedido aos representantes dos governos e das instituições alienadas: parem de enganar o povo! Uma jovem senhora me disse: “Não entendo, a vida é tão rara, mas continua dia a dia sendo abreviada na 101. Exigem de nós paciência, esta virtude inata para uns, um mistério inacessível para outros, mas esquecem que a paciência traz no seu bojo uma ansiedade e um desejo de abrir asas e irromper o horizonte controlado e administrado sabiamente. Esquecem, ou não sabem, que a paciência começa depois que as atitudes construtivas foram tomadas, diferentemente da mera inércia, que apenas aguarda que as coisas se façam sozinhas, ou no caso da 101, mais um número nas estatísticas, embora a vida seja tão rara”.

Afinal, quando irão concluir a duplicação da rodovia federal BR-101? Será em meados de 2020 ou precisam de mais tempo e dinheiro para gastar? Por favor, melhorem a sinalização das estradas em obras, concluam os trechos que estão semiacabados, mas, principalmente, deem atenção responsável ao aspecto segurança das pessoas. Aproveitando o ensejo, gostaria de consignar com bastante antecedência, por ser usuário desta rodovia federal com frequência, minha eventual ausência no ato de inauguração da obra, pois não sei o que poderá acontecer no dia de amanhã ou neste longo período para a conclusão da rodovia. Parem de alimentar a estatística de mortes na BR-101 (trecho sul) de Santa Catarina, sejam mais responsáveis!