Em relação ao artigo publicado ontem neste jornal, por Julio Cesar Cardoso, creio que foram omitidos fatos da vida de Serra, que mostram que ele não é tão santo quanto prega. Vejamos apenas alguns.

Serra fugiu do Brasil na ditadura militar e foi pro Chile.
Depois, fugiu para os EUA da ditadura chilena e entrou neste país sem que ninguém soubesse. Ou seja, mesmo fugido de duas ditaduras, morou nos EUA e nunca foi incomodado. Quem protegia o Serra?

Sua filha Verônica é sócia de mais de 100 empresas com a irmã da Daniel Dantas, aquele do Banco Oportunity, maior beneficiado no leilão das teles em 98, quando Serra era ministro do planejamento. Coincidência?
Inclusive, são proprietárias do maior site de leilão da América latina, o mercadolivre.com.

No Ministério do Planejamento, Serra comandou os leilões vendendo todas as estatais a preço de banana e nada foi pago da dívida externa.
Na saúde, envolveu-se no “escândalo das ambulâncias” com a empresa Planan/Curitiba, na compra de mais de mil ambulâncias, cujo esquema chega a R$ 100 milhões. Seu substituto, Barjas Negri continuou até 2002, na saída do governo.

Para encerrar, a mídia está divulgando agora o escândalo nas obras do metrô e a justiça de São Paulo bloqueou mais de R$ 10 milhões na Suíça, em nome de José Fagali Neto, ex-secretário de transportes do Serra.
E nem vamos falar do Paulo Preto, responsável pelo desvio de R$ 4 milhões do Caixa 2 da campanha tucana.
Portanto, o candidato Serra não tem uma ficha tão limpa…