Como é do nosso conhecimento, a Copa do Mundo de 2014 será realizada em solo brasileiro e, para a realização deste grande evento esportivo, serão gastos milhões de reais.
As promessas são de que com isso o Brasil vai ter um grande avanço em termos de infra-estrutura, além de trazer dinheiro por conta dos estrangeiros que para cá virão gastar seus dólares.

Porém, mesmo eu sendo um apaixonado por futebol, não concordo com a realização da Copa em nosso país. Fiquei estarrecido com o dinheiro que foi gasto nas obras do Pan de 2007 no Rio de Janeiro, valores muito acima do que foi previsto inicialmente. É triste ver ginásios que foram construídos com a promessa de serem usados depois dos jogos sempre em práticas esportivas ficarem limitados apenas em shows, como vi numa reportagem.

Fico mais indignado ainda ao ver governantes, ministros com a “boca na orelha” ao anunciarem os milhões (ou bilhões) que serão gastos para a construção dos estádios e fazerem “cara feia” quando é para liberar verbas para a saúde, educação, segurança pública, saneamento básico, etc.
Aliás, que bom se investissem no esporte na formação de atletas para não passarmos o vexame olímpico de Pequim, por exemplo.
Já imaginou estádios moderníssimos ao lado de hospitais quase fechando?
Isso sem contar que duvido muito que os trabalhadores assalariados e aposentados, ou seja, os brasileiros que pagam impostos, conseguirão comprar ingressos para assistir aos jogos.

Vamos nos deparar com estádios lotados de “gringos”, enquanto a massa vai ficar mesmo é com a televisão e telões em praças públicas.
Lembro-me quando o Brasil foi campeão em 94 e, em 2002, da alegria que senti não me importando onde foi realizada a Copa.
Na verdade, eu gostaria era de ver em 2014 os brasileiros torcendo pelo Brasil, mas com moradia digna, saúde, emprego, educação. Essa é a Copa que eu gostaria de assistir.