Uma importante decisão no cenário político em Santa Catarina ocorre hoje (17) quando inicia o processo de votação do pedido de impeachment contra o governador Carlos Moisés (PSL) e a vice Daniela Reinehr (sem partido).

A sessão está marcada para esta tarde na Assembleia Legislativa. A solicitação de afastamento indica o possível crime de responsabilidade em aumento salarial dado aos procuradores do estado. Segundo a denúncia, isso teria que ser feito por projeto de lei. O governo nega a acusação e argumenta que não é crime de responsabilidade.

Quarenta deputados vão avaliar o relatório dos deputados Luiz Fernando Vampiro (MDB) e Jessé Lopes (PSL), que foi aprovado por unanimidade. Os parlamentares vão decidir se o relatório será aprovado de forma separada, primeiro o da vice, depois do governador. O governador e a vice são afastados do cargo com 27 votos. O governador consegue se livrar e arquivar a denúncia com 14.

Caso Moisés seja afastado, quem assume provisoriamente é o presidente da Assembleia Legislativa, Júlio Garcia (PFL), justamente nesta semana em que o Ministério Público Federal o denunciou na Operação Alcatraz, por suspeitas que envolvem lavagem de dinheiro.

Outros pedidos tramitam
No entanto, o governo de SC enfrenta outros entraves. Também existe um segundo pedido de afastamento relacionado à compra de respiradores e contratação de hospitais de campanha em processo na Alesc. Outro – terceiro pedido -, é resultado da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investigou a compra de respiradores, e segue em análise.

Fotos: Maurício Vieira (governador)/Isac Nóbrega/Montagem: Mirna Graciela/Divulgação Notisul

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul