A sessão que julga o segundo pedido de impeachment contra o governador de Santa Catarina, Carlos Moisés da Silva (PSL), teve início nesta sexta-feira (26), às 9h05. Participam da votação cinco desembargadores e cinco deputados estaduais que integram o tribunal especial. São eles que decidem se aceitam ou não da denúncia e afastam temporariamente o governador de suas funções.

O encontro virtual é transmitido pela Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc) e em 12h, foi interrompido por duas vezes. O motivo é para que ocorressem intervalos.

Dos dez votantes da sessão, até agora oito votaram. Quatro desembargadores decidiram acatar parte da denúncia e quatro deputados rejeitaram o relatório. Caso seis participantes aceitarem a denúncia, Moisés será afastado por um período de até 180 dias.

O tribunal analisa se o governador cometeu crime de responsabilidade na compra dos 200 respiradores artificiais junto à Veigamed, com pagamento antecipado de R$ 33 milhões, em março do ano passado. Os equipamentos nunca foram entregues e o Estado ainda não recuperou o montante pago à empresa.

Com base em denúncia apresentada em agosto por 16 pessoas, a Assembleia Legislativa autorizou, em outubro, a abertura do processo de impeachment contra o governador. O tribunal que julgará Moisés foi instalado em 30 de outubro. A sessão para votação do relatório estava marcada para 14 de dezembro, mas, após o pedido para compartilhamento de informações do inquérito sobre o caso no STJ, o presidente do tribunal decidiu suspendê-la.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul