Tubarão

A ida para o Carnaval, ainda que com chuva, estradas esburacadas e filas enormes, foi tranqüila em toda a região. A volta é a grande preocupação das autoridades. O maior movimento, ao contrário do esperado, deverá ocorrer hoje. Ontem, porém, o trafego era lento em todo o trecho sul da BR-101. O temor está na mistura das muitas famílias que retornam para casa com o trânsito pesado de caminhões e ônibus.

Nas estradas, o feriado de Carnaval é conhecido pela confusão e pelos transtornos em rodovias que levam ao litoral brasileiro. Este ano, Santa Catarina lidera a relação dos estados que registraram o maior número de mortes nas rodovias federais neste período conturbado. Pelo menos 16 pessoas perderam a vida nas estradas catarinenses.

Onze delas em rodovias federais. Um dos acidentes mais graves ocorreu domingo, na BR-101, no trecho de Araranguá. Quatro pessoas morreram na hora. Todos da mesma família. O segundo maior estado com número de mortes é Pernambuco, onde oito pessoas morreram em rodovias federais.

Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o movimento nas rodovias federais do estado, sobretudo no litoral, já sofreu um aumento de 100% ontem. A previsão é de que o fluxo de veículos na BR-101 não-duplicada, de Palhoça, na Grande Florianópolis, a São João do Sul, na divisa com o Rio Grande do Sul, fique entre 20 mil e 40 mil por dia. No trecho duplicado da rodovia, de Palhoça a Garuva, na divisa com o Paraná, a expectativa é de que o movimento seja de 30 mil a 50 mil por dia.