O secretário estadual de saúde, Dalmo de Oliveira, assinou ontem o convênio de R$ 450 mil para compra de materiais para o HST.
O secretário estadual de saúde, Dalmo de Oliveira, assinou ontem o convênio de R$ 450 mil para compra de materiais para o HST.

Zahyra Mattar
Braço do Norte

O encontro para a assinatura de um convênio com o Hospital Santa Teresinha (HST), de Braço do Norte, ontem, em Florianópolis, tinha uma surpresa reservada para a comitiva do município. O secretário estadual de saúde, Dalmo Claro de Oliveira, anunciou que o governo será parceiro na construção do novo Hospital Regional do Vale. 
 
Em janeiro do próximo ano, será anunciado um cronograma para o repasse das parcelas, cujo valor ainda não está definido. O estado já foi parceiro financeiro na elaboração do projeto, quando repassou R$ 300 mil. O material foi desenvolvido pela Madrigano Hospitalar, de Blumenau, vencedora da licitação, e já conta com a aprovação da Vigilância Sanitária do estado.
 
O terreno também já existe, foi doado pelo empresário Edésio Oenning. São dois hectares próximo à SC-438, no bairro em Rio Bonito. A obra está estimada em R$ 28,8 milhões. São necessários pelo menos R$ 15 milhões para iniciar a obra do novo hospital e colocá-lo em funcionamento.
 
“Com isso, a direção do HST poderá transferir, vender a atual estrutura (avaliada em R$ 5 milhões) e disponibilizar o recurso para terminar a obra”, assinala o secretário de desenvolvimento regional em Braço do Norte, Gelson Luiz Padilha (PSDB). 
 
Em setembro, quando visitou Braço do Norte, o governador Raimundo Colombo (PSD) ficou surpreso com a situação da instituição. O HST fica às margens do rio e não há mais para onde expandir o prédio. Além disso, existem algumas partes da atual estrutura que não têm mais como ser recuperadas.
 
Convênio
O repasse no valor de R$ 450 mil para o Hospital Santa Teresinha, em Braço do Norte, visa a compra de novos equipamentos para a instituição. O ato ocorreu na tarde de ontem, na sede da secretaria estadual de saúde, em Florianópolis.
A comitiva do Vale, liderada pelo secretário de desenvolvimento regional em Braço do Norte, Gelson Luiz Padilha (PSDB), também contou com o presidente do HST, Arley José Felipe, a diretora da instituição, Maria Celir Tenfen, a Zê, o diretor geral da SDR, Jacinto Della Giustina, e a gerente de saúde, Débora Coan Marcelino.
Os deputado estaduais José Nei Ascari (PSD), Dóia Guglielmi (PSDB) e Joares Ponticelli (PP) também estava presentes, além de vários vereadores da Capital da Moldura.
 
Lideranças buscam mais parceiros financeiros
Com a contrapartida do estado garantida, agora os líderes políticos, empresariais e a direção do Hospital Santa Teresinha (HST), em Braço do Norte, terão o desafio de buscar o restante da verba para complementar o necessário à construção da nova instituição regional, que atenderá pelo menos 150 mil pessoas.
 
Como o estado será parceiro no financiamento da primeira etapa de obras, avaliada em R$ 15 milhões, e o HST poderá entrar com mais R$ 5 milhões (com a venda do atual prédio), e a previsão é que serão necessários buscar mais R$ 8,8 milhões.
 
“Já começamos uma maratona junto a todos os deputados federais e senadores, para que reservem emendas individuais e, se possível, coletiva para a obra. Em 15 dias, agendaremos uma viagem para Brasília, a fim de reforçar a importância deste investimento”, destaca o secretário de desenvolvimento regional em Braço do Norte, Gelson Luiz Padilha (PSDB).
 
O Hospital Regional Santa Teresinha terá um pronto socorro (para urgências e emergências), centro cirúrgico com quatro salas, centro obstétrico com quatro salas, UTI adulto com 11 leitos, um centro clínico com dez consultórios, unidade psiquiátrica com 26 leitos, centro de diagnósticos (raios-X, tomografia, endoscopia e ultrassom), além de 123 leitos para internação