Wagner da Silva
Braço do Norte

A temperatura começa a subir e todos tentam encontrara a melhor maneira de se refrescar, especialmente nos fins de semana. Em Braço do Norte, muitas famílias optam por visitar as lagoas do próprio município. Porém, o dia de lazer pode se transformar em um dia de tragédia se alguns cuidados não forem observados.
Nesta época, na região do Vale do Braço do Norte, o corpo de bombeiros atende um grande número de ocorrências envolvendo afogamento. A maioria destes registros ocorrem em água doce e são ocasionados pela falta de conhecimento do local.

Ao contrário do mar, onde as pessoas aproveitam a correnteza das ondas como forma de sair das áreas mais profundas, no caso dos rios e lagoas, a correnteza, além de perigosa, é imprevisível. “As estatísticas mostram que o banhista é descuidado. Confiante, ele se arrisca e acaba por tornar-se mais um triste número”, lamenta o comandante da Corpo de Bombeiros de Braço do Norte, sargento Aquilson Fernandes Machado.
Outro fator destacado pelo comandante é a falta de guarda-vidas na maioria das lagoas e rios da região. “Geralmente, as famílias fazem piquenique às margens destes locais, alguns ingerem bebidas alcoólicas e não se dão conta do risco quando entram na água”, alerta.

Para ter um dia tranqüilo, algumas dicas são importantes e devem ser observadas. Os pais nunca devem deixar crianças e adolescentes banharem-se sozinhos, especialmente se eles não sabem nadar e boiar.
Aos adultos, o comandante recomenda que evitem ingerir bebidas alcoólicas e comer antes de entrar na água. “É bom que ninguém nade sozinho em rios ou lagoas. Também é indicado que as pessoas observem se há galhos ou pedras. Ao primeiro sinal de problema, o correto é nadar diagonalmente à correnteza”, ensina o major Aquilson.