Parece que chegou ao fim o impasse entre Capes e Ufsc EaD. A Universidade Federal de Santa Catarina (Ufsc) divulgou no final da tarde desta quinta-feira (22) as datas do início das aulas dos cursos de Educação a Distância (EaD). Algumas turmas começam na próxima segunda (26) e outras, em 16 de março. Na quarta (21), a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) fez o repasse da verba para os cursos.

Dessa forma, o início das aulas será em:

26 de fevereiro: início dos cursos bacharelados em administração, administração pública, ciências contábeis e ciências econômicas; licenciaturas em ciências biológicas, física, letras-espanhol e matemática; e especialização em gestão em saúde.

16 de março: início das aulas das para as turmas de segundo semestre de bacharelados em administração e administração pública; licenciaturas em ciências biológicas, filosofia, física, letras-português e matemática; e especialização em linguagens e educação a distância.

16 de março (período noturno): aula magna de começo do semestre de EaD para todos os cursos (videoconferência para todos os polos), com presença do reitor e convidados.

De acordo com a UFSC, o repasse da Capes permite que os professores e diferentes laboratórios comecem a preparar os materiais e a logística para as aulas.

Até o final de março, ajustes ainda poderão ser necessários para que as atividades sejam retomadas plenamente, segundo a universidade.

O valor da verba enviada é de R$ 1.38.834,41, de acordo com a Capes. Ele é baseado em rubricas apresentadas pela universidade sobre os gastos com os cursos.

Entenda o caso

Na segunda (19), a UFSC havia anunciado o adiamento do início das aulas de nove cursos EaD por falta de dinheiro. A Capes afirmou que havia feito o repasse porque não enviará verba para fundações investigadas pela Polícia Federal relacionadas à Operação Ouvidos Moucos.

A ação foi desencadeada pela PF em setembro de 2017 no campus da UFSC em Florianópolis para desarticular uma organização criminosa que supostamente desviou recursos de cursos de EaD oferecidos pelo programa Universidade Aberta do Brasil (UAB). Um dos investigados é o ex-reitor da UFSC Luiz Carlos Cancellier, que cometeu suicídio em outubro.

Na quarta, a Capes assinou um termo de descentralização. O documento permitiu que ela fizesse o repasse para um grupo de gestores indicados pela reitoria, e não para as fundações.

Operação Ouvidos Moucos

Entre 2006 e 2017, foram repassados R$ 80 milhões para o programa UAB. O EaD oferece 11 cursos de graduação e sete de especialização.

A investigação ainda está em andamento, em fase de análise do que foi apreendido, como documentos, material de informática e celulares. Também são analisados dados obtidos com quebras de sigilos bancário e fiscal.

Por causa do grande volume de material, policiais federais outras unidades da PF estão em Florianópolis para reforçar a equipe. Não há previsão de data para a conclusão dos trabalhos.