Não são raros os casos em que passageiros enfrentam situações de racismo, homofobia, assédio e mesmo estupro durante corridas em aplicativos de transporte. Em relação às mulheres, a empresa Uber lançou uma iniciativa que pode contribuir para trazer mais segurança às brasileiras que utilizarem a plataforma.A empresa criou o ‘Elas na direção’, em parceria com a Rede Mulher Empreendedora, visando crescer e fortalecer a comunidade de mulheres que dirigem para a Uber no Brasil.

Dentro da iniciativa, existe a possibilidade de que as profissionais tenham a opção de receber somente chamadas de passageiras mulheres.

“A Uber acredita que todo movimento é capaz de gerar oportunidades e que as oportunidades devem ser iguais. Por isso, estamos criando uma plataforma para contribuir com que mais mulheres assumam a direção das suas vidas e tenham novas alternativas de renda, conquistando seus objetivos, sua independência pessoal e financeira”, afirma a empresa.

O projeto começa em Campinas, Curitiba e Fortaleza a partir de outubro de 2019 em um formato piloto, mas existem planos de expansão para todo o país no ano que vem. A empresa promete que a iniciativa contará com ações exclusivas para as atuais mulheres motoristas e também as que desejam dirigir para a Uber.Com a ferramenta U-Elas, mulheres motoristas poderão receber somente chamadas de passageiras mulheres, além de contar com parcerias especiais na locação de veículos e vendas de produtos nas viagens, diz a empresa.A Uber também afirma que oferecerá cursos presenciais e on-line sobre empoderamento pessoal e econômico, além de atendimento presencial exclusivo de mulher para mulher nos Espaços Uber das cidades atendidas pela plataforma.