Os acumulados de chuva nas últimas 24 horas chegaram a 220 mm em Tubarão. As informações são do técnico da Plantar Agronomia, o engenheiro agrônomo Clair Teixeira, de Tubarão.

Os técnicos fazem uma comparação com o volume de chuva registrado no dia 25 de março de 1974, quando aconteceu a enchente, em Tubarão, neste dia choveu 240 mm. 

“A diferença é que foram dias consecutivos de chuva até o dia da enchente, nesta sexta-feira os dados registrados foram contabilizados em um período de 24 horas”, explica o engenheiro agrônomo. 

Junto com outros técnicos, Calir acompanha a movimentação do Rio Tubarão. Ontem o nível  chegou na marca dos 3 metros, mas no começo da tarde deste sábado já havia baixado para 2,5 metros. E vai continuar baixando, garante Clair.

“O ponto mais crítico foi a bacia do Rio Congonhas, que passa entre as cidades de Tubarão, Jaguaruna e Sangão, onde a vazão atingiu áreas rurais e baixadas”, explicou Clair.