#Pracegover Foto: na imagem há vários cães deitados na calçada
#Pracegover Foto: na imagem há vários cães deitados na calçada

O número elevado de cães de rua em diversas cidades parece ser um problema sem solução. Em Tubarão, por exemplo, moradores relatam que nos últimos anos há grande quantidade de animais abandonados. Conforme a Organização Mundial da Saúde (OMS), há mais de 30 milhões de animais abandonados no Brasil, entre cães e gatos.

Uma medida considerada eficaz e necessária para a redução desses animais nas ruas da Cidade Azul e de diversos municípios é a castração. De acordo cm a unidade de zoonoses de Tubarão, neste ano de janeiro a abril foram castrados 700 pets. Já em 2020 esse número chegou a 1786. A unidade atende de segunda a sexta-feira, das 7 às 13 horas.

Além de representarem um risco físico, os caninos podem ser um poderoso vetor de zoonoses, doenças transmitidas de animais para o homem. Entre as doenças mais temidas, está a raiva, a hidrofobia. Para o homem, a principal forma de transmissão da enfermidade se dá pela mordedura de um animal, que foi infectado, geralmente por morcego, cão e gato.

A evolução da doença, tanto nos animais quanto no homem, se dá de forma rápida. Seus sintomas neurológicos são, por exemplo, falta de coordenação motora, ataxia, agressividade. Depois de passar o período de incubação e iniciados os sinais clínicos, não há tratamento e a incômodo pode levar a morte.

Apesar do abandono não estar explicitado no artigo 32 da Lei Federal 9.605/1998, que trata sobre o crime contra animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos, a prática se enquadra em maus-tratos, uma vez que abandonar o animal o expõe em situação de vulnerabilidade.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul