O risco de acidentes é frequente em alguns cruzamentos da cidade. Os carros ficam no meio da pista.
O risco de acidentes é frequente em alguns cruzamentos da cidade. Os carros ficam no meio da pista.

Priscila Alano
Tubarão

Tubarão não dispõe de radar em operação para fiscalizar a velocidade dos veículos no perímetro urbano. Com exceção dos equipamentos das Polícias Rodoviária Federal (PRF) e Militar Estadual (PMRv). E não há previsão de quando a Guarda Municipal ou a Polícia Militar de Tubarão terão o equipamento.

Uma licitação será lançada pela prefeitura para a aquisição de equipamentos de fiscalização do trânsito. O investimento é estimado em R$ 1 milhão, e os envelopes das empresas concorrentes serão abertos hoje. A previsão é que, em menos de um ano, 29 radares, furões e lombadas eletrônicas sejam instalados em vários pontos da cidade.

Conforme o secretário de segurança e trânsito da prefeitura, Antônio Bittencourt, o Toni, dois radares serão adquiridos para a Guarda Municipal. O diretor da GM, Adailton do Livramento, conta que o órgão está sem o equipamento desde o fim do ano passado. “Com a pavimentação de ruas na região central do município, os motoristas estão excedendo o limite de velocidade permitido. Não é permitido circular acima de 60 km/h”, alerta Adailton, que avalia o radar com um instrumento de fiscalização eficiente.

O capitão Wilson Sperfeld, responsável pelo setor de trânsito do 8º Batalhão da PM, conta que há estudos para a aquisição de um equipamento para os policiais realizarem a fiscalização. “Estamos fazendo uma pesquisa para avaliar a possibilidade de aquisição de um radar para o batalhão, com recursos próprios”, explica o capitão.

Sobre o radar
O equipamento custa em torno de R$ 60 mil. Os radares são equipamentos que medem a velocidade para coibir que os motoristas ultrapassem os limites e causem acidentes.

Locais onde o limite de velocidade é excedido
Os principais lugares que preocupam são: a avenidas Marcolino Martins Cabral, Expedicionário José Pedro Coelho (Angeloni), Patrício Lima, Pedro Zapellini, e as ruas Conselheiro Mafra e Silvio Búrigo.

População pede solução

Os moradores e comerciantes na avenida Pedro Zapellini, em Tubarão, estão indignados e pedem uma solução urgente para amenizar o perigo nos cruzamentos. Os acidentes são frequentes. Eles alegam que os motoristas transformaram a avenida em uma pista de corrida, não respeitam o limite de velocidade. A implantação da mão única na Rui Barbosa (do vagão) também é questionada.

Na última terça-feira, mais um acidente grave foi registrado, entre um caminhão e uma motocicleta, no cruzamento da rua Rui Barbosa com a Pedro Zapellini. O motociclista, com ferimentos graves, foi encaminhado ao Hospital Nossa Senhora da Conceição, onde passou por cirurgia.

A comunidade pede a implantação de lombadas na via ou a instalação de semáforos. “Estamos cansados de presenciar acidentes, não queremos perder parentes. Corremos risco em atravessar a avenida para ir à padaria, no mercado, na farmácia”, desabafa o morador Rogério Custódio de Souza.

Algumas lideranças comunitárias analisam a possibilidade de trancar a rua, caso providências não sejam tomadas. O secretário de segurança e trânsito da prefeitura, Antônio Bittencourt, afirma que não há possibilidade de instalação de semáforo no local.