A tempestade Leslie, que atingiu Portugal neste domingo, deixou ao menos 27 feridos e centenas de milhares sem fornecimento de energia. Os fortes ventos e chuvas também fizeram com que 61 pessoas tivessem que deixar suas casas, de acordo com o balanço mais recente da Defesa Civil do país.

As regiões mais atingidas foram Lisboa, Leiria e Coimbra, onde a maioria dos incidentes foi devido a queda de árvores, danos a telhados ou pequenas inundações.  Leslie já está deixando Portugal e deve chegar ainda hoje ao norte da Espanha, que se prepara para fortes chuvas.

Classificado primeiramente como furacão, que percorria o Oceano Atlântico desde 23 de setembro, Leslie foi rebaixado a categoria de tempestade pós-tropical nas primeiras horas deste domingo. Grande parte do país estava em alerta vermelho.

“No momento, é uma tempestade pós-tropical e já está no extremo norte do país, onde continuará a chover, mas a situação voltará rapidamente ao normal”, disse o presidente do Instituto Meteorológico português, Jorge Miranda, para a imprensa portuguesa na madrugada deste domingo.

De acordo com o comandante Rui Laranjeira, da Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC), informou o jornal português Público, todos os feridos apresentavam ferimentos leves e foram encaminhados a unidades de saúde parar receberem atendimento.

Com ventos de 176 km/hora e fortes chuvas, a tempestade arrancou árvores e tetos de residências e áreas foram inundadas, deixando centenas de milhares de casas sem eletricidade e parte do país em alerta máximo.

A Proteção Civil registrou quase 1.900 incidentes durante a noite deste sábado e a madrugada deste domingo. Acidentes de trânsito também foram registrados e danos em “vários carros” que estavam estacionados na via pública, assim como fechamentos de estradas, que já foram reabertas.